A história da Semana Santa na cidade e a programação desta quarta até domingo

A história da  Semana Santa na cidade e a programação desta quarta até domingo
Ofício de Trevas foi realizado novamente, resgatando antiga tradição da Semana Santa de Santa Luzia. Fotos: Luzias

Beto Mateus, Luzias

Quando o grande estandarte com as iniciais SPQR for levantado em frente à Capela de Nossa Senhora do Carmo nesta quarta-feira, 17 de abril, os luzienses têm um encontro com a memória e dão continuidade a uma tradição que já conta mais de três séculos. Bordado em letras grandes em pano roxo, as iniciais simbolizam o Senatus Populusque Romanus que, traduzidas, significam o Senado e o Povo Romano, prenunciando o julgamento de Cristo.

Com imagens e sons de um tempo muito distante, a Semana Santa é um dos fortes atrativos turísticos de tantas cidades de Minas Gerais, que mantêm, mesmo com as dificuldades dos novos tempos, rituais e práticas iniciadas no Brasil no período colonial, para lembrar as passagens dolorosas da vida de Jesus. Em Santa Luzia, porém, a falta de articulação das políticas públicas em torno das celebrações que têm , um caráter cultural, ainda é um empecilho para a promoção de uma das datas mais importantes do calendário litúrgico cristão, data que representa uma importante fonte de recursos para muitas localidades. Cidades mineiras como São João Del Rei e Ouro Preto, e ainda Goiás Velho (GO), ficam com a capacidade de hospedagem esgotada devido ao grande número de fieis, turistas e visitantes que chegam interessados na cultura local e na prática de velhas tradições. História em Santa Luzia é o que não falta para que a cidade entre na rota do turismo religioso nacional.

Domingos de Ramos

Procissão passando pela Rua Direita, no Domingo de Ramos. Foto: Aurélio Dolabella Teixeira

A programação da Semana Santa na Paróquia Santa Luzia (centro histórico) foi iniciada na manhã do último domingo (14/04), com a presença do bispo auxiliar da Arquidiocese de Belo Horizonte, dom Edson José Oriolo dos Santos. Acompanhado do pároco Felipe Lemos de Queirós, dom Edson benzeu os ramos dos fiéis em frente à bicentenária capela do Bonfim e seguiu em procissão pela rua Direita, em direção à Praça da Matriz, onde foi celebrada uma missa campal. O bispo destacou em sua homilia a participação dos fiéis e a necessária aproximação de todos com o Evangelho, em busca de uma vida justa e fraterna.

Santa Luzia realiza uma das semanas santas mais tradicionais do estado, ressuscitando cerimônias que eram realizadas há mais de um século. Em 2019, com a coordenação do padre Felipe, algumas cerimônias foram resgatadas ainda durante a quaresma, como a Encomendação das Almas e o Ofício de Trevas, realizado na noite do último domingo.

Dom Edson durante a sua homilia, na escadaria do Santuário de Santa Luzia, após a procissão de Ramos

A Semana Santa na cidade sempre atraiu muitos visitantes. A imprensa dava destaque às cerimônias realizadas aqui na cidade já no início do século 20. Edison Lopes Tibúrcio, um dos maiores entusiastas da semana santa, exibe com orgulho um recorte do jornal Diário de Minas, que destaca “o que foi a semana santa de 1901 em Santa Luzia do Rio das Velhas, só o pode dizer quem pessoalmente a assistiu de princípio a fim”. A reportagem menciona a participação de alguns luzienses na organização, entre eles, Aurélio Dolabella, o padre Ornellas e Albertina de Almeida.

De geração em geração

Algumas famílias se sucedem nas responsabilidades da organização de determinadas cerimônias. Um dos exemplos, e que podem ser comprovados pela publicação do jornal, é o da arquiteta Albertina de Almeida Gabrich que, atualmente, é responsável pelas funções de cuidar da imagem do Senhor Morto nas cerimônias da Sexta-feira da Paixão. A arquiteta é da quinta geração de sua família à frente de uma tradição que, em 1901, estava na responsabilidade de sua trisavó, como registra o Diário de Minas: “O sepulchro então preparado era uma obra prima de arte, tal a profusão de luzes, de flores naturaes e artificiaes, de candelabros ricos e tapetes finos. Este trabalho é devido ao apurado gosto e invejável habilidade da exma. sra. d. Albertina de Almeida”.

Pedro Luiz de Oliveira Filho durante a preparação da imagem de Nosso Senhor dos Passos, para a Procissão do Depósito

Outro que dá continuidade à tradição da família na preparação das cerimônias é o funcionário público Pedro Luiz de Oliveira Filho. Pedrinho, como é conhecido, herdou do pai Pedro Luiz – grande jogador de futebol – e do avô Modestino Elói de Oliveira, a responsabilidade pelos cuidados com a imagem do Nosso Senhor dos Passos, que sai em procissão segunda e quarta-feira.

Tradição veio de Portugal
Em entrevista ao jornal Bem Informado, do IEPHA/MG, a professora aposentada do Departamento de História da UFMG Adalgisa Arantes Campos, pesquisadora que se dedica ao estudo da Semana Santa, destaca que “as cerimônias quaresmais e da Semana Santa foram introduzidas pelos portugueses já nos primeiros anos da colonização. Boa parte deles vinha do Norte de Portugal, de freguesias pertencentes ao arcebispado de Braga, dotado de uma liturgia muito própria. A liturgia Bracarense se consolidou a partir de uma ancestralidade milenária muito rica, baseada na liturgia das igrejas primitivas, que não era exatamente a de Roma”.

Procissão de Ramos, em frente da Igrejinha do Bonfim

Adalgisa explica que as cerimônias são complexas e acabam extrapolando o sentido exclusivamente religioso, constituindo um fato cultural por excelência. “Eu já vi “incrédulos” colaborando ativamente e com entusiasmo na confecção de tapetes na noite de Sábado para Domingo da Ressurreição”, conta a pesquisadora, ressaltando a importância da preservação das tradições.

Leia também:
Cidade celebra a Semana Santa há mais de três séculos

PROGRAMAÇÃO DA SEMANA SANTA

Antes de passar à programação, veja a convocação do padre Felipe Lemos para que os fiéis participem da Semana Santa:

17 de abril de 2019 – Quarta-feira Santa
09h – Missa com os enfermos – Comunidade Sagrados Corações.
09h – Missa com os enfermos – Igreja Nossa Senhora do Rosário.
14h às 17h – Atendimento de Confissões – Santuário Matriz.
19h00 – Missa – Comunidade Nossa Senhora do Carmo. Em seguida, procissão com a Veneranda Imagem do Senhor dos Passos até a Praça do Fórum com as paradas nos Passos da Paixão e cantos dos Motetos. Participação dos Figurados Bíblicos do Novo Testamento e da Banda Estrela de São João. Motetos da Procissão – Coro Angélico. Trajeto da Procissão: Rua do Carmo, Rua Silva Jardim, Rua do Bonfim, Rua Direita e Praça do Fórum.
19h00 – Missa – Comunidade Nossa Senhora da Conceição. Em seguida, procissão com a Veneranda Imagem de Nossa Senhora das Dores até a Praça do Fórum. Participação dos Figurados Bíblicos do Antigo Testamento e da Banda Geraldo de Brito. Trajeto da Procissão: Praça Ari Teixeira Costa, Rua do Serro, Rua Direita, Praça do Fórum.
Na chegada das Procissões, haverá o Sermão do Encontro e o Canto da Verônica na Praça do Fórum. Em seguida, procissão do Calvário com as Venerandas Imagens do Senhor dos Passos e de Nossa Senhora das Dores pela Rua Direita até o Santuário Matriz, com as paradas nos Passos da Paixão e os cantos dos Motetos.

18 de Abril de 2019 – Quinta-feira Santana
20h – Missa da Ceia do Senhor e Rito do Lava pés. Santuário Matriz.
Em seguida, Trasladação do Santíssimo Sacramento até a Capela do Hospital São João de Deus com a participação da Irmandade da Misericórdia de São João de Deus, onde haverá adoração até às 00h, continuando na Sexta de 07h às 14h. Trajeto do Traslado: Rua Direita, Rua da Baronesa, Rua Floriano Peixoto e Hospital São João de Deus.

19 de Abril de 2019 – Sexta-feira Santa da Paixão do Senhor
05h – Procissão da Penitência com a Veneranda Imagem de Nossa Senhora das Dores e a meditação da Via sacra saindo do Santuário Matriz até a Comunidade Nossa Senhora das Graças. Trajeto da Procissão: Rua Direita, Rua Nívio Gabrich, Av. Raul Teixeira da Costa, Rua Moreira Maia, Rua Um, Rua Maestro Dudu de Castro, Rua Dr. Arcanjo Soares, Rua Três Irmãos e Igreja N. Sra. das Graças. Na chegada da procissão haverá a Bênção para os penitentes e dos pães.
08h – Via Sacra com as crianças saindo da Comunidade Nossa Senhora da Conceição até o Santuário Matriz.
14h – Sermão das “Sete Palavras” – Santuário Matriz.
15h – Solene Ação Litúrgica com a Adoração da Cruz. Santuário Matriz. Músicas: Coro Angélico.
19h30 – Apresentação dos Figurados Bíblicos, Sermão do Descendimento da Cruz e canto da Verônica no Adro do Santuário Matriz. Em seguida, Procissão do Enterro com as Venerandas Imagens do Senhor Morto e de Nossa Senhora das Dores com a participação dos Figurados Bíblicos, Banda Estrela de São João e Coro Angélico. Trajeto da Procissão: Rua Direita, Rua Floriano Peixoto, Rua do Serro, Rua Direita e Santuário Matriz. Na chegada da procissão haverá canto da Verônica e a veneração do Santo Sepulcro.

20 de Abril de 2019 – Sábado Santo
09h – Encontro das Mulheres e Mães com Maria ao pé da Cruz. Santuário Matriz.
Neste momento de oração somente as Mulheres são convidadas a rezar pela família e pelos filhos e
entregá-los à Mãe das Dores.
19h30 – Bênção do Fogo Novo no Adro da Igreja Nossa Senhora do Rosário. Em seguida, procissão da Luz até o Santuário Matriz com a participação da Banda Geraldo de Brito.
Músicas: Coro Angélico.

21 de Abril de 2019 – Domingo de Páscoa e da Ressureição do Senhor
08h30 – Solene Missa Paroquial da Ressurreição no Adro do Santuário Matriz com a participação de todas as Comunidades. Músicas: Corais Mater Eclesiae e Regina Coeli.
Em seguida, Procissão da Ressurreição com as Bênçãos do Santíssimo e os tradicionais tapetes de serragem. Participação dos Figurados Bíblicos e da Banda Geraldo de Brito. Trajeto da Procissão: Rua Direita, Rua Floriano Peixoto, Rua Direita e Santuário Matriz. Na chegada da Procissão haverá coroação de Nossa Senhora.
19h30 – Missa e Canto do Te Deum – Santuário Matriz. Músicas: Gruppetto Santa Luzia.

Deixe um comentário

Mantemos a privacidade de seu e-mail. Os campos obrigatórios estão marcados com *

Cancel reply