Prefeito fecha Prefeitura ‘para balanço’ e desabafa: Aqui é uma bagunça, um caos

Prefeito fecha Prefeitura ‘para balanço’ e desabafa: Aqui é uma bagunça, um caos
Prefeito fez denúncias graves e, sem citar nomes, criticou com dureza a administração interina de Sandro Coelho

Prefeito encontra tantas irregularidades no início de seu governo, que resolve decretar estado de excepcionalidade administrativa, praticamente fechando a Prefeitura durante 120 dias, na buscaa de solução para as graves distorções. “Isso vai dar cadeia”, disse ele, garantindo “não vamos poupar ninguém”

Luzias

Se tomarmos por base as denúncias feitas pelo Prefeito Christiano Xavier nesta sexta-feira, 03 de agosto, a conclusão é que Santa Luzia vinha sendo administrada, há um bom tempo, por uma quadrilha. Exatos 23 dias depois de tomar posse, o Prefeito convocou a imprensa da cidade para anunciar que a “bagunça” é tamanha, em todos os órgãos, que nos próximos quatro meses a Prefeitura permanecerá “fechada para balanço”. Significa, segundo ele, que “não vamos contratar mais ninguém, não vamos nomear mais ninguém, com exceção da área saúde.” Visivelmente preocupado e irritado com o que encontrou na Prefeitura, ele repetia: “Vou mandar tudo para a polícia, vou mandar tudo para o Ministério Público. Isso vai dar cadeia. O que estamos encontrando aqui é um monte de maracutaia.” Ele chegou a dizer que foi alertado por um secretário, que “não dá dois meses para que a Polícia Federal e o Ministério da Saúde” estejam na cidade.

Mostrando que veio para mudar a cultura oficial de descaso com a população, que há tantos anos vigora em Santa Luzia, ele prometeu, ao final dos quatro meses em que sua equipe vai trabalhar com afinco, apresentar uma série de planos de ação, para corrigir as graves distorções encontradas na Prefeitura. O Prefeito se mostrou especialmente indignado na hora em que falou dos dados mostrando que a mortalidade infantil está aumentando no município.”Isso não está acontecendo em lugar nenhum do Brasil. Só em Santa Luzia”, disse ele, lembrando que a cidade tem um Hospital todo equipado que ficou fechado. Depois de afirmar que foram encontradas sérias irregularidades durante a exoneração de funcionários, ele adiantou: “Vamos fazer como outras cidades fizeram, há pouco tempo. Vamos por uma tenda lá embaixo e fazer o recadastramento de todos os servidores que falam que trabalham na Prefeitura. Acho que foi Neves que fez isso e encontrou 270 fantasmas. Tenho certeza que aqui vamos achar também.”

Desperdiçando dinheiro público com maracutaia

Sentado na cabeceira de uma mesa, com todo o secretariado, Christiano Xavier iniciou a coletiva queixando-se que “estão querendo cortar a luz do hospital e dos PAs hoje. Estamos tendo que pular uma fogueira para resolver isso.” Segundo ele, a conta de energia elétrica do hospital não é paga desde dezembro de 2017. E os contratos de aluguel de todos os postos de saúde estão vencidos. Também há mais de mil casos de cataratas aguardando cirurgia. “Há mais de oito anos que não se faz uma cirurgia de catarata na cidade que leva o nome de Santa Luzia, a protetora dos olhos. Mais de mil pessoas sem enxergar e nenhuma providência, enquanto ficam gastando, desperdiçando dinheiro público com maracutaia,” lamentou, citando também o caso dos pedidos de mamografia não realizadas. “Mais de mil mamografias por fazer e achamos amontoados dois mamógrafos velhos, equipamentos alemães, caros, cheios de cocô de pombo, jogados nos escombros.”

O Prefeito ainda se deteve na saúde, mostrando que mais de 9 mil pedidos de biópsias, colonoscopias, eletroencefalogramas e outros exames não foram realizados. E apontou outro problema: o sistema de saúde não é informatizado. Com isso, não há qualquer tipo de comunicação entre o hospital, as UPAs, postos de saúde e a farmácia, o que resulta em “falta de agilidade e maracutaia.”

Prestando atenção às denúncias, dá para ter uma noção do quanto os últimos prefeitos de Santa Luzia foram desumanos com a população. Essa é uma distorção que o Prefeito quer corrigir reabrindo o mais rápido possível o Hospital de São João de Deus e a sua maternidade.

Na educação, o cenário de descaso não muda. Enquanto crianças estudam em containers, sem ventilação, Christiano Xavier afirmou haver muitas salas de aulas que não são usadas, simplesmente porque não têm carteiras nem mesa.”Poderíamos oferecer muito mais vagas”, comentou ele, dizendo que encontrou cinco ou seis escolas onde os alunos não recebiam nem o café da manhã. Estudavam com fome.

“Contratada pela Prefeitura para fazer campanha”
O Prefeito contou que na exoneração de servidores, foram detectados “indícios de fraude” e contratações com desvio de finalidade. Ele citou eexemplos: “Ontem, pegamos uma menina, contratada desde maio, ganhando três mil reais. Nunca bateu um ponto. Ninguém da seção onde ela é lotada nunca ouviu falar em ponto. E outras pessoas que também já foram identificadas. Quando fomos conversar com uma dela, ela disse ‘ah, não, eles me contrataram para ajudar na campanha, para coordenar os amarelinhos. Eu tinha que entrar pelos fundos.’ Completo desvio de finalidade: contratada pela Prefeitura para fazer campanha na rua.”

Mais irregularidades: foi detectado um aumento excessivo da folha de pessoal. Durante todo o exercício financeiro de 2017, foram gastos 118 milhões de reais. Em 2018, até junho, já foram gastos 78.275.000. Um aumento de 24% na folha de um ano para o outro. Menos de 20 dos servidores são efetivos, “o que não acontece com nenhuma outra cidade.”

Na frota que a Prefeitura aluga, através de empresa terceirizada, os preços estão exageradamente altos e não há como conferir se o serviço foi feito, pois não há rastreador. Há casos como o de um mesmo motorista que dirige duas vans. Sabe quanto a Prefeitura paga a ele? 30 mil reais por uma e 32 mil reais pela outra. “Com dois meses, a gente poderia comprar uma van(nova)”, constatou o Prefeito.

Não vamos poupar ninguém
O descontrole é a norma na Prefeitura. Foram encontrados contratos suspeitos em todas as áreas. Alguns já liquidados e pagos. Exemplo dado pela Prefeito na Comunicação: no ano passado, o evento que celebra a Revolução Liberal no Muro de Pedras, no dia 20 de agosto, ficou em mais de 100 mil reais. “Hoje, a gente está fazendo com 7 mil reais.”

Santa Luzia tem uma das taxas de iluminação pública mais caras do Brasil. Mesmo assim, “encontramos mais de quatro mil lâmpadas apagadas. Não justifica isso – quase um terço da cidade no escuro.”

A cidade não tem aterro sanitário, mas um aterro controlado. Em média, são despejados ali 145 toneladas de lixo por dia. Além do licenciamento estar vencido, a capacidade do lugar mostra-se comprometida, o que vem causando graves danos ambientais.

Há cinco anos, a Copasa não faz uma obra em Santa Luzia. Porque esse é o tempo que o convênio com a Prefeitura expirou.

Embora seja uma cidade histórica, com 326 anos, está tudo fechado em Santa Luzia: museu, teatro, bibliotecas.

O estado da Prefeitura luziense, depois de anos de má administração e de tantas falcatruas, é tal que nem o Prefeito, eleito em 24 de junho e, como delegado da Polícia Civil acostumado a ver coisas do arco da velha, parecia não acreditar.

Ao final da sua exposição, decretou “estado de excepcionalidade administrativa”, pediu desculpas e paciência à população da cidade. Em seguida, determinou o encaminhamento para o Ministério Público, polícia judiciária e órgãos competentes de todos as irregularidades, indícios, já identificados, de crimes praticados contra a Prefeitura. E garantiu: “Não vamos poupar ninguém. A lei é igual para todo mundo.”

Veja a entrevista coletiva na íntegra, gravada pelo jornal Virou Notícia:

Deixe um comentário

Mantemos a privacidade de seu e-mail. Os campos obrigatórios estão marcados com *

Cancel reply