No sermão do Descendimento da Cruz, padre pede por vítimas do coronavírus

No sermão do Descendimento da Cruz, padre pede por vítimas do coronavírus
Altar mor do Santuário de Santa Luzia. (foto: Gustavo Werneck/EM/D.A PRESS)

Gustavo Werneck, Estado de Minas

Com o santuário dedicado à padroeira fechado, devido à pandemia do novo coronavírus, moradores de Santa Luzia, na Grande Belo Horizonte, tiveram de acompanhar o sermão do Descendim
ento da Cruz, nesta sexta-feira da Paixão, na capela-mor da igreja barroca, no Centro Histórico da cidade. O padre Felipe Lemos rezou pelas vítimas da doença que flagela o mundo e pela saúde de todos.

O calvário, que antes ficava no adro da igreja, com a encenação da Paixão de Cristo, seguida de procissão, foi montado no altar da padroeira. Diante do padre, havia apenas alguns seminaristas e a equipe da pastoral da comunicação. A medida visou evitar aglomerações. Os católicos e demais interessados assistiram a todas as cerimônias pelas redes sociais da paróquia: @santuariosantaluziamg.

Como é tradição, homens da comunidade, vestidos de branco, retiraram, durante as palavras do padre Felipe, os martírios (coroa, placa, cravos) e a imagem de Jesus da cruz. Ao final, houve o canto da Verônica, na voz de Lilian Soares.

Disse o padre Felipe durante o sermão do Descobrimento da Cruz: “No corpo chagado e ensanguentado de Jesus estão todas as pessoas marginalizadas, todas as mulheres vítimas de feminicídio, todos os nossos irmãos vítimas de preconceito, todos os que sofrem, neste momento, com a pandemia do novo coronavírus”.
Tags #belo horizonte #coronavírus #padre #santa luzia

Deixe um comentário

Mantemos a privacidade de seu e-mail. Os campos obrigatórios estão marcados com *

Cancel reply