Almoço e show musical no Icaraí, os incêndios na cidade e outras notícias

Almoço e show musical no Icaraí, os incêndios na cidade e outras notícias
Quem não quiser almoçar no Clube vai poder levar a comida para saborear em casa

Luzias

Programa duplo no Icaraí neste domingo: almoço e show musical
Dá gosto ver o empenho com que a turma de Meire e Romeuzinho se lança no trabalho de conseguir angariar mais dinheiro para continuar levando adiante as obras de renovação do Clube Social Icaraí. Eles não param. Neste domingo, 15 de setembro, a incansável equipe está preparando um almoço delicioso, com aquele tutu saboroso:

O show vai começar às 15h e se prolongará até 20h

O almoço será servido até às 15h. A partir daí, o Icaraí entrará noutro clima, com o aguardado show de Balú. A música vai atravessar a tarde e só terminará às 20h. E o melhor: a entrada é de graça. Portanto, se você está procurando um bom programa para este domingo, já encontrou: almoço e show musical no Icaraí.

Livro lançado em BH é baseado em reportagens de Gustavo Werneckuzi

Gustavo e a jornalista Celina Aquino com as autoras Clara Feldman e as netas Isabella e Ana Clara Feldman

Foi lançado neste sábado, 14 de setembro, na Livraria da Rua, em Belo Horizonte, o livro infanto-juvenil Xerife e Olívia, de autoria da psicóloga Clara Feldman e das netas Clara e Isabella Feldman.

Livro foi lançado no sábado

A obra, baseada num caso real relatado numa série de reportagens do jornalista Gustavvo Werneck, publicadas no jornal Estado de Minas, conta a história de “um vira-la que latia de paixão por uma cadelinha e a disputava com um rival.”

“A psicóloga e escritora Clara Feldman, e as netas Isabella e Ana Clara acompanharam, emocionadas, as peripécias, os lances de suspense, as venturas e desventuras do casal apaixonado: Xerife, um vira-lata de rua e Olívia, a cadelinha mantida atrás das grades de sua casa. As três recortaram, cuidadosamente, todas as reportagens até o desfecho da história, em maio de 2016,” – conta o artigo do Estado de Minas.

O lançamento, na livraria da Rua Antônio de Albuquerque, na Savassi, reuniu dezenas de pessoas.

incêndios não param em Santa Luzia

No vídeo, você vai ver como as duas principais igrejas da cidade, a matriz e a do Rosário, ambas na Rua Direita, desaparecem à medida que a fumaça vinda de Monte Negro se avoluma.

Depois do incêndio de grandes proporções que consumiu a maior parte da vegetação da antiga área conhecida como Fazenda de Vicente Araújo, à beira do Rio das Velhas, luzienses da área central da cidade se assustaram com a fumaça grossa e escura saindo durante horas da mata que fica no fundo da casa de Antônio Nonato e imediações, na quarta-feira, 12 de setembro. O local é conhecido como Monte Negro. O Corpo de Bombeiros passou o dia inteiro em Santa Luzia tentando debelar as chamas. Felizmente não foi registrada nenhuma ocorrência mais séria. Em meio à secura geral, a cidade implora por chuvas.

Atenção, atenção Departamento de Trânsito I

Veja como os carros são obrigados a entrar na contramão para contornar o camihão

Depois de receber várias queixas contra um caminhão, tipo caçamba, placa HBZ 2229, de Belo Horionte, estacionado em plena via pública, em local de grande movimento, o Luzias foi até a Rua Felipe Gabrich, no trecho próximo à nova rotatória no Córrego das Calçadas, e constatou que o veículo realmente está atrapalhando a circulação do trânsito.

Como se pode ver, o caminhão ocupa toda a pista, obrigando o carro branco a manobra arriscada

E mais: colocando em risco a segurança de quem transita pelo local, uma vez que como é grande e ocupa toda a pista, obriga os veículos a entrarem na contramão para contornar o longo caminhão.

Quando estávamos fazendo estas fotos, seu proprietário nos abordou. Explicamos que os motoristas estavam reclamando do veículo estacionado em lugar tão perigoso.

Ele se mostrou indignado, recusando-se a admitir que o caminhão parado ali atrapalhava o ir e vir dos veículos. Afirmou que há anos estaciona o caminhão no mesmo lugar e que, apesar das queixas, não tem a intenção de removê-lo dali.

Atenção, atenção Departamento de Trânsito II

Essa carroceria de caminhão, placa ADB 0065 de Santa Luzia, atrapalha a visão na Av Raul Teixeira da Costa

Outra imprudência pode ser verificada na Avenida Raul Teixeira da Costa, no sentido centro da cidade, onde um motorista estacionou esta longa carroceria de caminhão, a poucos metros do pequeno trecho de rua que liga a Silva Jardim à Raul Teixeira.

O motorista do carro, lá no fundo, teve dificuldade para ver se podia entrar na Avenida

Resultado: quem desce a Rua Silva Jardim e entra à direita para pegar a Raul Teixeira não consegue enxergar bem se está vindo outro veículo. É preciso convencer o dono da carroceria a estacioná-la em local mais seguro.

Mug celebra seu 25º aniversário convidando a população para a festa

A Mug, com duas unidades em Santa Luzia, é uma das lojas mais simpáticas da cidade

Santa Luzia à noite

Padre Felipe Lemos celebrando missa na Igrejinha do Bonfim

Numa noite dessas, andando pela Rua Direita, a principal do Centro Histórico de Santa Luzia, o jornalista Carlos Magno de Almeida fez estes belos registros fotográficos, começando com a imagem do padre Felipe Lemos celebrando missa na Igrejinha do Bonfim, para onde foi transferida a missa rezada na capela do Hospital de São João de Deus, em obras no momento.

Depois, o jornalista subiu a Rua. A cidade já estava adormecida:

A lateral da Igreja do Rosário com seu amplo adro

Trecho do casario antes da Igreja Matriz, com a Igreja do Rosário ao fundo

E a Igreja Matriz, na parte mais alta da Rua Direita

Deixe um comentário

Mantemos a privacidade de seu e-mail. Os campos obrigatórios estão marcados com *

Cancel reply