Hospital S J de Deus contesta Prefeito

Hospital S J de Deus contesta Prefeito
Hospital fundado em 1840, todo equipado, está fechado há três anos - Foto: Brasil de Fato

Redação do Luzias

O secretário executivo da irmandade, entidade filantrópica que responde pelo Hospital São João de Deus, disse ao Luzias, nesta segunda-feira, 16 de abril, que o prefeito interino Sandro Coelho, desde que assumiu o cargo, há cinco meses, não apresentou qualquer proposta no sentido de reabrir o Hospital.

Newton Magalhães de Pádua Junior fez a afirmação a propósito da entrevista exclusiva que o prefeito concedeu ao Luzias, publicada neste domingo, na qual, ele diz:“Nós tivemos algumas conversas com o pessoal do São João de Deus, fizemos algumas propostas para a prefeitura administrar o hospital, mas não tivemos êxito nisso.”

O secretário executivo explicou que foram realizadas três ou quatro reuniões entre representantes da Prefeitura, da Irmandade e ex-funcionários. A última delas aconteceu em dezembro do ano passado. Em nenhum dos encontros houve proposta da Prefeitura nesse sentido.

“Qualquer proposta teria que ter sido formalizada. Onde está o documento? O prefeito afirmou algo que nunca existiu, não houve proposta de gestão conjunta, ou de qualquer forma de contrato, nem mesmo por alguma faculdade e muito menos houve uma negativa da Irmandade”, observou Newton, mostrando-se surpreso com as declarações de Sandro Coelho.

“Há mais ou menos 15 dias, nosso advogado se reuniu com o secretário de Governo, Giovani Gimenez, a pedido da Prefeitura, que nos propôs, verbalmente, alugar o hospital para a organização que administra o Hospital Municipal e o PA. Nós concordamos, inclusive, nossos advogados que apresentaram a minuta do acordo, segundo o que discutimos com o secretário de governo.”

Newton de Pádua aponta vários equívocos cometidos pelo prefeito interino ao se referir ao Hospital de São João de Deus. “Não sei onde ele achou que estamos devendo 12 milhões de reais, fora a dívida trabalhista. Ele pensa, então, que estamos devendo 15 milhões. Pelos nossos cálculos, a dívida total está em torno de 11,5 milhões e não é fruto, como disse o prefeito, de um empréstimo feito pela Irmandade. Apenas 25% do total se refere a empréstimos da Caixa Econômica e do Itaú,” esclarece, acrescentando: “O restante são dívidas contraídas em razão da falta de repasses de recursos da Prefeitura para o Hospital e da crise geral da saúde no Brasil, que está fazendo com que todos os hospitais filantrópicos estejam nessa situação. Não somos os únicos.”

Ele afirma ainda que, “nossa dívida total gira em torno de 11,5 milhões, ou seja, já com o passivo trabalhista incluído. O mais importante, porém, é que deve-se avaliar este montante pelo porte do hospital e da sua capacidade produtiva, pois estamos falando de um hospital de 110 leitos, com lavanderia, central de esterilização, refeitório, usina de oxigênio, entre outros equipamentos, e assim qualquer especialista da área irá afirmar, ao contrário do prefeito interino que essa dívida é pequena.”

O Hospital de São João de Deus está fechado desde abril de 2015 – fato difícil de explicar numa cidade com uma população chegando aos 220 mil habitantes. Há três anos as grávidas luzienses vêm tendo filhos em Belo Horizonte.

Ao mesmo tempo, acaba de abrir as portas o Pronto Socorro Municipal Madalena Calixto – Avenida Raul Teixeira,22 – entregue à população neste 16 de abril. Sem maternidade, o novo hospital conta, de acordo com a Prefeitura, “com três leitos de emergência, quatro leitos de pediatria, 16 leitos de observação, sendo um de isolamento e 16 pontos de medicação, sendo quatro de inaloterapia, além de 06 consultórios médicos, uma sala de cirurgia/procedimentos, uma sala de gesso/ortopedia, uma sala de raio X, entre outros”. E atenderá nas especialidades: “Clínica geral, pediatria; cirurgia; ortopedia, com anestesista e neurologista 24horas (escala entre neurologista e cardiologista).”

Newton de Pádua acha que a abertura do novo hospital é um fato muito positivo, já que “mesmo se todos os 110 leitos do Hospital de São João de Deus também estivessem disponíveis, ainda seriam insuficientes para atender as necessidades de Santa Luzia.”

Leia a íntegra da entrevista “Prefeito diz que Hospital de São João de Deus permanecerá de portas fechadas”

Deixe um comentário

Mantemos a privacidade de seu e-mail. Os campos obrigatórios estão marcados com *

Cancel reply

1 Comentário