Que Santa Luzia retire a venda dos olhos de quem ainda não viu a importância para a cidade da fazenda de Vicente Araújo

Que Santa Luzia retire a venda dos olhos de quem ainda não viu a importância para a cidade da fazenda de Vicente Araújo
Nesta área, em frente a ponte nova, a Emccamp Residencial quer fazer um enorme loteamento. O projeto, elaborado sem qualquer estudo de impacto, prevê mais de 500 lotes

Elisa Santana, Luzias

Sou Luziense.  Nasci, cresci e morei durante muitos anos em Santa Luzia. Hoje, apesar de residir em Belo Horizonte,  vou muito à cidade, porque tenho irmãos, sobrinhos,  muitos outros parentes e pessoas queridas que vivem lá. A casa dos meus pais ainda está lá e eu adoro o aconchego que ela me dá.  Nestes momentos, percebo que o tempo passa,  a gente sai do lugar, mas o lugar não sai da gente. Carrego Santa Luzia comigo. Não canso de dizer que histórias são memórias e, juntas, são identidade.

Na minha juventude, no final dos anos 70, quando a cidade tinha somente 15 mil habitantes, aboletada com amigos no bar do “DrinKs Macaúbas” ou na discoteca “Baronesa”, costumávamos falar do nosso amor pela cidade, do medo quase pavor da “cidade grande”.  Belo Horizonte, à 30 e poucos quilômetros de distância, podia se  aproximar e invadir nossa calmaria, trazendo o “ruim” que, no nosso imaginário, continha uma metrópole. Nesta época, a “cidade grande” estava escondida atrás de montes e montanhas e ficava lá, bem longe.

O tempo, dono e senhor da vida, faz com que tudo se movimente. Algumas coisas começam, outras acabam. Assim foi com os nossos encontros e lugares da juventude: o “Drinks” como o chamávamos, a discoteca Baronesa, o restaurante Ladeira do Imperador… Certamente outros pontos de encontro estão sempre surgindo e nova moçada também. Só não sei o que foi feito com o nosso medo de que a cidade grande invadisse a pequena, com o que achávamos ser suas “tristes” modernidades.   Santa Luzia hoje já faz  parte da grande BH. De qualquer morrinho é possível ver, lá no fundo, a cidade “grande” , que se aproxima a uma velocidade desconcertante, trazendo os seus arranha- céus para uma cidade “ainda” cercada de tanto verde.

Ah, os arranha- céus!  Infernos verticais que as pessoas que cultuam a idéia errônea de progresso, mesmo sem nunca ter morado em um, cultuam. E são eles que agora querem invadir do lado de lá do rio das Velhas, na fazenda que um dia foi do senhor Vicente Araújo, bem atrás da igreja do Rosário, no centro histórico.  Houve um prefeito, mais consciente, que baixou um decreto proibindo a construção de prédios  com  proximidade tão promíscua das ruas que guardam tantas histórias. Mas veio outro que, pensando em lucro e confundindo progresso com concreto, com ajuda da Câmara, anulou o decreto.

Começa a ganhar corpo a campanha para transformar a área no Parque Dr. Vicente Araújo

Os moradores sempre sonharam fazer desta fazenda um parque. Um parque onde se conserve o resto de mata nativa,  espécies raras de plantas, pássaros e flores. Um parque onde as pessoas, numa cidade tão carente de lazer, possam passear e se encantar com a natureza. Mas onde andarão os moradores? E seus desejos? Porque o poder público teima em não ouvi-los?  

Uma cidade não pode e não deve crescer de maneira desordenada. E o poder público é fundamental para impedir que isso aconteça. Qualidade de vida passa pelo verde que nos rodeia.  A natureza somos nós. Pensar  e cuidar dela é zelar pelo bem estar dos luzienses que hoje aqui estão e dos que um dia virão. Pensar nela é cuidar da terra, nossa grande mãe,  que espoliada por demais, anda nos mostrando que dinheiro não pode ser o único critério para uma vida digna. É preciso ouvir a voz desses novos tempos. O poder público precisa  dizer não ao insensato.

Utopia! Utopia! Utopia! Assim o escritor português José Saramago terminou  a sua última palestra em Porto Alegre, em 2005. Desejo, como na cidade da  minha infância e adolescência, que estas palavras  ecoem no alto falante da Igreja Matriz e, para além de crenças e credos, una todos os habitantes, de todos os bairros, num único e grande movimento para impedir o loteamento de uma área que a cidade sonha em transformar em Parque Vicente Araújo. Quando em luta por uma causa nobre, a população pode tudo.

Que o movimento pela preservação da antiga fazenda ganhe cada vez mais força! Que Santa Luzia, nossa padroeira, ajude a tirar a venda dos olhos de quem ainda não viu ou entendeu a importância de manter essa que é uma das únicas áreas verdes na região central da cidade! Que o bom senso e o respeito à nossa História prevaleçam!

Veja o vídeo do Jornal Virou Notícia sobre o incêndio, tudo indica criminoso, que consumiu um bom pedaço da antiga fazenda nesta semana:

Veja também: Projeto de construir 537 habitações pode destruir área verde do centro de SL

Moradores de Santa Luzia lutam pela criação do Parque Dr. Vicente Araújo

Deixe um comentário

Mantemos a privacidade de seu e-mail. Os campos obrigatórios estão marcados com *

6 Comentários

  • Magaly
    31 de julho de 2021, 19:13

    Obrigada família Santana por estar sempre na defesa da nossa cidade.
    SALVE SANTA LUZIA🙌

    RESPONDA
    • Maya Santana@Magaly
      1 de agosto de 2021, 11:50

      Muito obrigada, querida Magaly! Nossas famílias sempre estiveram juntas na defesa de Santa Luzia. É essa união que faz a nossa grandeza. E não será diferente agora que lutamos pela criação do Parque Vicente Araújo. Salve Santa Luzia!

      RESPONDA
  • Rosilene Aparecida Ribeiro Sales
    1 de agosto de 2021, 09:35

    Sou moradora da cidade de Santa Luzia há 55 anos e nunca vi tamanho repúdio a uma gestão que em momento nenhum está preocupada com o meio ambiente. Santa Luzia está a mercê de um governo que só quer ver concreto, liberando alvarás de construções como se assinasse um papel qualquer .Trata se do pouco verde que ainda temos na cidade .É o ar que já começa a sufocar ,é o futuro ambiental comprometido .Onde vamos parar ? Se olharmos para a nossa volta , veremos concreto ,concreto, precisamos de ar puro ,verde ,árvores, fauna ,flora .Fica aqui a minha indignação. SALVE SANTA LUZIA

    RESPONDA
  • Rejane Guimaraes
    1 de agosto de 2021, 10:26

    Santa Luzia!!! Berço ancestral de augustas gerações!!!

    RESPONDA
  • Elzira
    1 de agosto de 2021, 18:47

    Lisa falou por todos nós que nos preocupamos com o futuro de Santa Luzia. Parabéns pelo excelente texto! Que suas palavras possam despertar outras pessoas e sensibilizar o poder público municipal.

    RESPONDA
  • Toninho reis
    3 de agosto de 2021, 23:03

    Unidos venceremos, avante Santa Luzia, não podemos deixar uma cidade histórica virar alvo de despejo..

    RESPONDA