Leia na Coluna do Luzias o que acontece em Santa Luzia na semana que começa

Leia na Coluna do Luzias o que acontece em Santa Luzia na semana que começa
A população luziense sonha com a reabertura do Hospital, fechado desde 2015

Alguns dos assuntos que você vai ler nesta Coluna do Luzias: trabalhos de recuperação do Hospital São João de Deus devem ser retomados amanhã, um cruzamento onde quase todos os dias há acidente, as duas importantes exposições na cidade, quem se habilita a liderar os trabalhos de regeneração do Clube 33, na Ponte, e Santa Luzia chora a morte de Mariza Guimarães

Luzias

Obras no Hospital de São João de Deus devem ser retomadas nesta segunda
Como o Luzias informou na semana passada, a empresa Martins Fontes Engenharia, vencedora da licitação realizada pela Prefeitura, iniciou as obras de recuperação do Hospital de São João de Deus, na terça-feira, 18 de junho. Mas, cerca de duas hora depois, surgiu um funcionário da Prefeitura trazendo uma determinação para que a obra fosse paralisada. A explicação para a suspensão é que havia um documento pendente. Ninguém mais apareceu no Hospital ao longo da semana. Segundo informações não oficiais, no entanto, os trabalhos devem ser retomados nesta segunda-feira, 24 de junho. Tomara que São João, cujo dia será celebrado com festas e fogueiras, inspire o Prefeito e ele determine realmente a continuidade das obras.

Tapume provoca acidentes no cruzamento das ruas Silva Jardim com a Santa Cruz

Veja o flagrante captado pelo Luzias no cruzamento onde quase todo dia acontece um acidente

Atenção, Prefeitura. Neste domingo, 23 de junho, houve outro acidente, felizmente sem vitimas, no cruzamento das Rua Silva Jardim com a Rua Santa Cruz, no bairro São Geraldo, na área central da cidade. As batidas estão ocorrendo diariamente depois que foi instalado um tapume em um lote na Silva Jardim. Além de tirar a visão dos motoristas que vêm dos dois lados, o tapume, feito por alguém sem a menor consciência, ocupa todo passeio de pedestres.

O tapume ocupou até o espaço do pedestre no meio fio

O acidente desta manhã aconteceu quando um carro que descia a Silva Jardim, completamente sem visão, avançou sobre a faixa de pare e chocou-se com outro que subia a Santa Cruz. Felizmente, ninguém se feriu. Não é a primeira nem a segunda nem a terceira vez que acontece um acidente no local a partir do dia em que o tapume foi instalado. Alô, alô, Prefeitura! Moradores do bairro estão pedindo ajuda para impedir que ocorram novos acidentes.

Um “arraiá” para levantar fundos para a restauração do Clube Social Luziense

O clube, que foi tão importante para a cidade, está fechado há quase duas décadas

Será a primeira promoção para levantar dinheiro, que será direcionado para a reforma do Clube Social Luziense, situado na Rua Direita. Tudo pronto para o “arraiá”, no próximo sábado, dia 27 de julho, no Sítio de Álvaro Diniz, a partir das 20h. Toda a renda do evento será revertida para a recuperação do Luziense, que teve grande importância na vida social da cidade até o final do século passado e ficou praticamente abandonado durante quase 20 anos. O esforço agora é para recuperar o Clube, que já tem uma nova diretoria, eleita recentemente.

Clube Social 33, na Ponte, “jogado às traças”

Ha anos, a sede do clube 33, que deu tantas alegrias aos luzienses, está fechada

Com o trabalho duro de voluntários, o Clube Social Icaraí, fechado durante tanto tempo, está sendo, aos poucos, totalmente reformado, graças a uma campanha, incentivada pelo Promotor Marcos Paulo de Souza Miranda, e liderada brilhantemente por Meire e Romeuzinho. Também inspirado pelo Promotor, está em curso um trabalho com vistas à recuperação do Clube Social Luziense, como noticiamos acima. Talvez tenha chegado a hora de voltar os olhos para um outro espaço que teve enorme importância na vida social de Santa Luzia e também está desativado há anos: o Clube Social 33.

A discreta frente do Clube está coberta de mato e de sujeira

Estamos fazendo esta nota, alertados pelo que escreveu em sua página no Facebook Cristiano Lara Massara, luziense preocupado com a decadência da cidade: “Com certeza você sabe que lugar é este. Já dançou muito no “baile do Havai”.Isto mesmo. É o nosso querido clube 33, na rua do Comercio. Jogado as traças. Quantas lembranças boas. Nestes tempos de dengue será que alguém do poder público poderia limpar a frente do imóvel?”

Veja como está a entrada do 33, fechada com corrente e cadeado

O Luzias esteve no 33, na Ponte, para colher estas fotos e tem uma proposta a fazer: Vamos nos unir e reabrir o 33?

Uma exposição sobre a nossa história que você não pode perder

Abertura da exposiçao, que poderá ser visitada até dezembro, foi na segunda, 17 de junho. Foto: site da Prefeitura

Todo luziense deve visitar a exposição sobre a Revolução Liberal de 1842 – cuja última batalha se deu em Santa Luzia -, aberta na segunda-feira, 17 de junho, no Solar da Baronesa, na Rua Direita.

Fotos de pessoas importantes da Revolução, arma usada nos enfrentamentos e muito mais. Foto: site da Prefeitura

A exposição, organizada pela Secretaria Municipal de Cultura, reúne uma série de fotografias, documentos, uma arma usada nos combates e até a porta perfurada por balas da casa, em frente da Igreja Matriz, que serviu de quartel general para os rebeldes, liderados por Teófilo Otoni.

Veja a abertura da exposição neste vídeo da Prefeitura:

🖼 Exposição sobre a Revolução Liberal de 1842#SantaLuzia #Cultura #Trabalho #Respeito

Geplaatst door Prefeitura Municipal de Santa Luzia op Woensdag 19 juni 2019

Á propósito da exposição, várias pessoas se dirigiram ao Luzias para reclamar do seu horário de funcionamento: de terça a sexta-feira, das 9h às 16H. A vasta maioria dos moradores da cidade está trabalhando nesse período do dia e, portanto, não tem como ver a mostra. O ideal seria que o Solar da Baronesa permanecesse aberto nos finais de semana e feriados, para que, não só os luzienses, mas turistas que visitam a cidade possam conhecer melhor a nossa História.

Marcos Ikeda e Rubens Melo fazem exposição de fotos no Mosteiro de Macaúbas

Cenas do quotidiano de algumas das 13 irmãs que vivem em regime de clausura

E a partir de hoje está montada na portaria do Mosteiro de Macaúbas uma exposição de fotos sobre o cotidiano de oração e trabalho das irmãs concepcionistas, que lá residem em regime de clausura. A iniciativa, que contou com aprovação especial das lideranças religiosas, é dos fotógrafos Marcos Ikeda e Rubens Mello, que decidiram fazer a exposição como parte das ações da campanha Abrace Macaúbas.

As fotos expostas são de Marcos Ikeda e de Rubens Mello

De acordo com os coordenadores da campanha, o objetivo é levar, em breve, a exposição para outros lugares e, até mesmo um espaço cultural em BH para, assim, dar mais visibilidade às ações para conservação do Mosteiro.

Mosteiro de Macaúbas II

as irmãs vão celebrar a conclusão das obras de restauração da porção sul do Muro da Lenha

E as irmãs de Macaúbas promovem no próximo dia 07 de julho, às 10h, uma cerimônia especial para comemorar a beatificação de 14 monjas concepcionistas martirizadas em 1936, durante a Guerra Civil espanhola. A cerimônia oficial de beatificação aconteceu ontem, em Madri/Espanha. Na oportunidade, as irmãs vão celebrar a conclusão das obras de restauração da porção sul do Muro da Lenha, que circunda o mosteiro, e fazer a abertura oficial da exposição fotográfica de Marcos Ikeda e Rubens Mello.

Para ajudar na festa de Nossa Senhora do Carmo

O sorteio do prêmio será depois da missa, na terça-feira, 16 de julho

Ajude a angariar fundos para a Festa de Nossa Senhora do Carmo, comprando um bilhete por apenas 5 reais. O prêmio ao qual você vai concorrer é um escapulário de ouro.

Santa Luzia perde Mariza Guimarães

Mariza entre duas das filhas, Duly e Eliane, em foto de 2014

Uma vez mais, em poucos dias, Santa Luzia chorou a perda de mais uma de suas filhas: Mariza Guimarães, de uma das famílias mais queridas da cidade, faleceu na sexta-feira, 21 de junho, depois de lutar incansavelmente, durante anos, contra um câncer.”Minha amada mãe Mariza virou uma linda estrela!! A maior de todas!! Uma estrela do tamanho de seu coração” – escreveu, inconsolável, a filha Rejane.

Mariza foi uma das jovens mais bonitas da cidade:

Mariza, à esquerda, ao lado de Ceci Moreira e de Marisa Moreira quando estudavam no Colégio Santa Luzia, que funcionava no Solar da Baronesa

Ela e o marido, Maurício, trabalharam durante muitos anos em Brasília. Ele sobreviveu a ela, que deixa as filhas Eliane, Rejane, Juliane e Thatiane. A mais velha das cinco, Adriane, faleceu há cerca de dois anos.

O desaparecimento de Mariza Guimarães veio se somar, nos últimos dias, ao de outros luzienses importantes: Vicente de Paula, Aparecida de Zeca Paula e de Raquel Lima Marcelino. Uma semana de luto.

Deixe um comentário

Mantemos a privacidade de seu e-mail. Os campos obrigatórios estão marcados com *

Cancel reply