Se romper barragem em Ouro Preto, Santa Luzia poderá ser atingida em até 13 horas

Se romper barragem em Ouro Preto, Santa Luzia poderá ser atingida em até 13 horas
Se houver o rompimento da barragem em Ouro Preto, o Distrito Industrial de Simão da Cunha, cortado pela Avenida Beira Rio, será o primeiro a ser atingido em Santa Luzia

A Vale continua causando transtornos em Minas Gerais. Agora, chegou a vez de Santa Luzia ficar em alerta para o possível rompimento das barragens Forquilha I e III, localizadas na Mina da Fábrica, na área rural de Ouro Preto. Segundo reportagem do Observatório Luziense, se realmente uma das barragens se romper, os detritos liberados chegariam a Santa Luzia, através do Rio das Velhas, em questão de 13 horas. O risco de rompimento das barragens foi elevado nesta quinta-feira, 28 de março, para o nível três, ou seja “risco iminente de ruptura.” Em caso de a lama chegar à cidade, o distrito industrial Simão da Cunha, na saída para Belo Horizonte pela Beira Rio, seria o primeiro a ser afetado. Mas outras áreas de Santa Luzia ao longo do Rio das Velhas, com certeza, também sofreriam as conseqüências.

Por isso, de acordo com a reportagem do Observatório Luziense, a Vale já começou a tomar medidas para impedir o pior. A mineradora, diz o Observatório, está providenciando a instalação de “placas indicativas para rotas de evacuação; estabelecimento de locais de encontro para que as saídas emergenciais sejam feitas o mais organizado possível; cessão de oito caminhonetes e 24 motoristas para auxiliar no processo de sonorização e resgate; treinamento com as comunidades localizadas nas principais áreas de risco; integração com equipes da Polícia Militar e da Defesa Civil municipal e estadual para, se necessário, estabelecer ações de salvamento.”

Santa Luzia está preparada
As informações divulgadas pelo Observatório Luziense foram confirmadas pelo Secretário de Meio Ambiente de Santa Luzia, Geraldo Ramires. Ele esteve na sede da Vale em Itabira nesta quarta-feira e, segundo declarou ao Observatório, está acompanhando de perto a situação. “Em casos assim não há risco zero. Principalmente do ponto de vista ambiental, as perdas seriam incalculáveis (caso haja o rompimento). Mas em termos de vidas humanas, o risco de haver alguma perda na cidade é bem menor,” disse o secretário municipal de Meio Ambiente, adiantando: “Estamos em contato com a Vale e com a Defesa Civil do Estado há 60 dias, para evitar que algo de grave aconteça. “

A reportagem do Observatório informa ainda que, além de Ouro Preto, Belo Horizonte e Santa Luzia, um eventual rompimento das barragens em Ouro Preto afetaria pelo menos outras 12 cidades: Itabirito, Jaboticatubas, Lagoa Santa, Matozinhos, Nova Lima, Pedro Leopoldo, Raposos, Rio Acima, Sabará, Taquaraçu de Minas, Funilândia e Jequitibá. Significa que todas essas cidades terão sérios problemas com o abastecimento de água.

Lucro bilionário da Vale
A gente chega a ficar sem palavras quando vê o estrago que a Vale está fazendo em Minas Gerais. Nascida na Itabira(MG) de Carlos Drummond de Andrade, e tornada uma das maiores empresas do mundo com a venda do minério de Minas, a Vale vem transtornando a vida dos mineiros desde 2015, quando rompeu a barragem de Bento Rodrigues, em Mariana, administrada pela Samarco, empresa formada pela união da Vale com a gigante australiana BHP Bellington. Mariana sofre até hoje e tem muitas, muitas queixas da Samarco-Vale-BHP Billington. Com as feridas de Bento Rodrigues ainda vivas, veio Brumadinho e a constatação de que o território mineiro foi transformado em terreno minado, quando se trata de barragens sem segurança. E muitas delas são da Vale.

Uma empresa com o gigantismo e o poder da Vale não deveria nunca deixar acontecer tragédias como essas que estamos assistindo em Minas. A gente fica mais convicto disso quando toma conhecimento dos lucros da empresa. Nesta quarta-feira, 27, o Estadão publicou: “A mineradora Vale encerrou o quarto trimestre de 2018 com lucro líquido de US$ 3,786 bilhões, salto de 391% em relação ao observado no mesmo período do ano passado. Em relação ao trimestre imediatamente anterior, o aumento também foi expressivo e chegou a 168%. Em todo o ano de 2018, o lucro somou US$ 6,860 bilhões. O valor é 24,6% superior ao observado um ano antes.”

Imoral, não?

Deixe um comentário

Mantemos a privacidade de seu e-mail. Os campos obrigatórios estão marcados com *

Cancel reply

1 Comentário

  • Carlos Novy
    28 de março de 2019, 21:17

    Excelente matéria. Jamais pensei que corríamos risco! Vou compartilhar com meus contatos. Obrigado, Maya, por ter me enviado. Bjos 😘

    RESPONDA