Daniel Rodrigues começa neste domingo sua busca pela medalha de ouro em Lima

Daniel Rodrigues começa neste domingo sua busca pela medalha de ouro em Lima
O campeão luziense, de 32 anos, está esperançoso, pois considera-se bem preparado

O campeão luziense disputa hoje a sua primeira partida na modalidade de tênis de cadeira de rodas no Para Pan de Lima, no Peru. Daniel tem chances de conquistar a medalha de ouro nesse Para Pan. Apesar disso, precisamos ligar para a capital peruana para saber o horário do jogo, pois a mídia brasileira não deu. Nem os jornais mineiros. Será às 14h, horário de Brasília ( 12h em Lima). Mas, infelizmente, nenhum canal de televisão do Brasil vai transmitir a partida.

Daniel Ottoni, O Tempo

O momento favorável pode fazer a diferença para o tenista mineiro Daniel Rodrigues, que representará o Brasil no Parapan de Lima, no Peru. Neste domingo, ele estreia na competição de olho nas fases finais, mesmo sabendo que precisará fazer bem sua parte para ir avançando de fases.

“Estou em um bom momento, trabalhei muito para que isso acontecesse. Em menos de dois meses, cheguei em quatro finais em torneios de níveis elevados e obtive dois títulos e dois vices”, conta o atleta, natural de Santa Luzia. Os resultados recentes o credenciam a fazer frente a alguns dos favoritos, caso do argentino Gustavo Fernandez, líder do ranking mundial.

Leia também:
Luziense brilha no tênis para cadeirantes e é a grande esperança do Brasil no Pan

“Em julho, consegui um feito histórico na minha carreira e para o tênis em cadeira de rodas do Brasil. Fui campeão de um torneio muito forte na Suíça. Foi a primeira vez que um brasileiro ganhou este campeonato”, revela o número 12 do mundo.

Quem também está na disputa é a mineira Meyricoll Duval, assim como o uberlandense Gustavo Carneiro. Gustavo está na modalidade há pouco mais de um ano, período inferior aos dos principais concorrentes. Mesmo considerando uma vitória estar no Parapan, já que se classificou nos últimos instantes, ele garante que vai buscar dar trabalho para os favoritos.

“Estou com uma expectativa boa, sabendo que teremos pela frente nomes de peso, como números 1, 12, 15, 20 e 25 do circuito mundial. São jogadores fortes, que estão no circuito há mais tempo, mas acredito muito no meu potencial. Cheguei mais recentemente na modalidade, não é algo fácil competir contra estes caras. Não sou favorito, mas vou lutar como nunca”, garante. Ao lado de Daniel, Carneiro vê boas chances de chegar na final nas duplas. Os brasileiros são os cabeças-de-chave número dois, atrás somente dos argentinos.

Leia também:
Tenista campeão encontra professor

Em busca do ouro
Depois de conquistar prata nas duplas e bronze no individual no Parapan de Toronto, em 2015, Daniel Rodrigues busca um ouro inédito na carreira. “O tênis brasileiro em cadeira de rodas está em maior evidência que o olímpico em termos de resultados. Infelizmente, não temos a mídia para nos ajudar, mas nossa modalidade tem alcançado muitos feitos para o Brasil e podemos dizer que somos uma das potências. O Pan, além de ser uma competição que você defende as cores da sua bandeira, é uma competição que acontece a cada quatro anos, por isso se torna algo muito importante e desafiador”, destaca o atleta de 32 anos.

Deixe um comentário

Mantemos a privacidade de seu e-mail. Os campos obrigatórios estão marcados com *

Cancel reply