Assine o abaixo-assinado para que a Fazenda da Baronesa seja tombada

Assine o abaixo-assinado para que a Fazenda da Baronesa seja tombada
Os prédios, com um total de 420 apartamentos, que ameaçam a centenária Fazenda - Foto: Marcos Ikeda

Diante da destruição de vestígios históricos da Fazenda da Baronesa, comprovada através de laudo solicitado pelo Ministério Público de Santa Luzia a arqueólogos da Universidade Federal de Minas Gerais, surge um abaixo-assinado para que a área da Fazenda seja tombada. A iniciativa é da Associação Comunitária Cultural de Santa Luzia, preocupada com os danos causados pelo conjunto habitacional Vista do Sol – 420 apartamentos construídos pela Tenda S/A ao lado da Fazenda, sem qualquer estudo de impacto.

É muito importante que o abaixo-assinado contenha o maior número de assinaturas possível, para pressionar os poderes públicos e o tombamento ocorrer logo. Localizada no bairro Belo Vale, no distrito de São Benedito, em Santa Luzia, a fazenda é um marco na história da região. Antiga propriedade dos barões de Santa Luzia, aconteceram nela importantes negociações e atividades econômicas.

De acordo com fontes históricas do século XIX, lá era um entreposto para distribuição de gado, sal e outros produtos que eram trazidos da Bahia para Minas Gerais. No local também havia engenho de cana de açúcar, moinho, senzalas, extração de ouro e uma Capela dedicada a Nossa Senhora do Rosário.

Nesta terça-feira, 24 de abril, o Luzias publicou a decisão do MP luziense de recomendar o tombamento: “A fim de preservar os vestígios que ainda existem, a 6ª Promotoria de Justiça de Santa Luzia recomendou ao Secretário de Cultura Nino Severiano a abertura de processo de tombamento do conjunto arquitetônico, histórico e arqueológico dos remanescentes da Fazenda da Baronesa e seu entorno, no prazo de 48 horas.”

O MP solicitou ainda a cassação da licença ambiental da construtora responsável pelo empreendimento: “Considerando a ausência de estudos de impacto ao patrimônio cultural e a destruição de vestígios arqueológicos, a Promotoria também recomendou à Secretária de Meio Ambiente, Ana Vitória Wernke, que suspenda a licença ambiental concedida à Tenda e promova o embargo das obras, no prazo de 48 horas, só autorizando a retomada do empreendimento após o salvamento dos vestígios remanescentes, a realização dos estudos arqueológicos e a compensação pelos danos causados.”

Na própria terça –feira, o Luzias tentou ouvir a Prefeitura. Enviamos e-mail à secretaria de Comunicação, como foi solicitado. Mas, até agora não recebemos resposta.

Se você é a favor do tombamento da Fazenda da Baronesa, clique aqui para acrescentar o seu nome ao abaixo-assinado.

Leia também:
Laudo da UFMG confirma: construtora destruiu patrimônio histórico da Fazenda da Baronesa

Deixe um comentário

Mantemos a privacidade de seu e-mail. Os campos obrigatórios estão marcados com *

Cancel reply

4 Comentários

  • Lílian Lara Lima
    25 de abril de 2018, 20:20

    Preservar memórias e histórias de infância.

    RESPONDA
  • cristina Avila
    26 de abril de 2018, 15:54

    Absurdo total. Estive a uma semana atrás na cidade de Santa Luzia e o descaso com o patrimônio me chocou. Essa linda fazenda é um bem cultural.

    RESPONDA
  • maria jose santana reis
    27 de abril de 2018, 19:09

    Presevar a memória da cidade é um dever nosso.(Luziense)

    RESPONDA
  • maria izabel santana
    27 de abril de 2018, 19:50

    conservaçao da fazenda baronesa é o nosso dever.

    RESPONDA