Santa Luzia: a rota de fuga da lama, as obras na igreja da Ponte e outras notícias

Santa Luzia: a rota de fuga da lama, as obras na igreja da Ponte e outras notícias
Esta placa está na Avenida Beira Rio, próximo à nova rotatória do Vésper. A seta aponta para a parte alta da cidade

Luzias

A Câmara Municipal realizou na terça-feira, 30 de abril, uma audiência pública, que ficou lotada, para discutir os riscos que Santa Luzia corre, caso haja o rompimento de barragens em Macacos ou em Ouro Preto. Aparentemente, os vereadores ficaram satisfeitos com o que ouviram. Participaram da audiência representantes da mineradora Vale, do governo do estado, da Defesa Civil, Polícia Militar, alguns dos secretários municipais, representantes de associações de bairro, OAB, e outros. A audiência pública aconteceu alguns dias depois de a Câmara Municipal, por iniciativa do vereador José Cláudio, ter enviado requerimento à Prefeitura solicitando informações “sobre o Plano de Ação de Emergência de Barragens em relação ao desabastecimento de água e outros danos que possam vir a afetar Santa Luzia, se houver o rompimento da barragem Minas Mar Azul de Nova Lima- (Macacos) e as barragens Forquilha I e Forquilha III, da Mina Fábrica, em Ouro Preto (MG).”

Esta outra placa também na mesma área. As letras, embaixo, são bem pequenas

No requerimento, que deve ter resposta da Prefeitura nesta semana, a Câmara faz 13 perguntas: ” 1- O Município de Santa Luzia, através da Defesa Civil Municipal, tem um plano de ação especifico em caso de rompimento de algumas das barragens? Se houver, qual? 2- Existe o risco eminente dos bairros Ribeirinhos, tais como Capitão Eduardo, Morada do Rio, Parte baixa, Ponte Pequena, São João Batista, Pantanal, Barreiro do Amaral, Pinhões e Taquaraçu de Baixo), serem afetados? Se houver qual plano emergencial a ser executado? 3- Nossa Defesa Civil está preparada para tal acontecimento? O efetivo e suficiente? 4- Se houver rompimento das barragens qual o risco de a lama chegar em nosso Município? Se positivo? Qual altura acima do leito do rio? 5- Quais os números de pessoas serão atingidos? 6- Está sendo feito um Plano emergencial para resguardar vida e patrimônio das pessoas? Se positivo? Qual?”

Uma das placas “Rota de fuga” pode ser vista nesta foto, na rotatória do Vésper, à direita, pouco atrás de onde o carro preto está passando

E continua: “Em caso de rompimento como será feito o abastecimento de água? 8- Haverá treinamentos para evacuação das pessoas em área de risco? Quando? Onde estas pessoas serão levadas? Quais serão os pontos de encontros? 9- Havendo o rompimento qual 10- Existe a possibilidade de criação de um comitê para prevenção de danos caso haja os rompimentos das barragens, que envolva Corpo de bombeiros, Policia Militar, Defesa Civil e Ministério Público? 11- Se acontecer o rompimento das barragens qual o tempo previsto para evacuação das pessoas ribeirinhas? Como serão alerdadas? 12- Conforme regulamentações já foram adotadas critérios de colocação de placas indicando rotas de fuga em locais próximos ao leito do Rio das Velhas? 13- A Vale já adotou as medidas necessárias, com apoio da Defesa Civil e os demais órgãos competentes de nossa cidade, para orientar os moradores? Se sim? Quais foram estas medidas?”

Muitos dos moradores da Santa Luzia, sobretudo os que moram em áreas que ficam às margens do Rio das Velhas, estão ansiosos, angustiados, com a possibilidade de realmente haver uma tragédia.

Papa recebe álbum com fotos e nomes dos mortos de Brumadinho

O representante das vítimas entrega ao Papa Francisco o álbum com nomes e fotos

E por falar em rompimento de barragem, o papa Francisco recebeu ontem(03/05), durante reunião do Dicastério pela Promoção do Desenvolvimento Integral Humano com comunidades atingidas por mineração e mineradoras, um álbum com as fotos e nomes das pessoas mortas pelo crime da Vale em Brumadinho. O material foi entregue pelo sobrevivente da tragédia Dari Pereira e pelo Frei Rodrigo Amédée Péret, da Rede Igrejas e Mineração e Grupo de Trabalho de Mineração da CNBB. De acordo com Péret, cujas raízes são luzienses (é trineto de Modestino Gonçalves), o papa abençoou as fotos e expressou sua solidariedade às famílias das vítimas e aos atingidos pela tragédia. No próximo dia 18 de maio, o Monsenhor Duffé irá representar o papa em uma visita a Brumadinho.

Prefeitura atende apelo dos moradores do bairro da Ponte

Funcionários da Prefeitura chegaram à Rua Felipe Gabrich antes das 8h da manhã

Para alívio e alegria dos moradores do bairro da Ponte, a Prefeitura ouviu seus apelos e, neste sábado, enviou um grupo de funcionários para roçar o mato alto, que vinha facilitando o surgimento de cobras e outros bichos perigosos em toda a extensão do terreno que margeia a linha ferroviária. O pessoal da Prefeitura chegou à Rua Felipe Gabrich ainda não eram 8h. Logo iniciaram o trabalho de limpeza da área.

Os bancos da praça da estação estão em estado lastimável

Agora, para que o serviço fique completo, os moradores estão solicitando ao Prefeito que determine a recuperação dos bancos da região da praça da estação. Como há muito não há manutenção ali, os bancos estão semidestruídos, contribuindo para o aspecto de abandono dessa área que é tão importante para os moradores.

Finalmente, obras na Igreja de São João Batista vão começar

A Igreja foi esvaziada para que as obras possam começar na segundo, 06 de maio

Depois de muito vai e vem burocrático, finalmente os trabalhos de recuperação da Igreja de São João Batista, na Ponte, serão iniciados na segunda-feira, 06 de março. As obras, coordenados pelo perseverante Paulo Giovannini, sob a responsabilidade do conhecido engenheiro Gerson Vinicius(Gersinho), são parte da primeira de um total de três etapas. Nesse primeiro momento, será feito, segundo Paulo, o reforço da estrutura de toda a alvenaria, com instalação de ferragens nos cortes profundos a serem feitos em todo o perímetro da edificação, tanto no primeiro quanto no segundo piso do prédio. Finalizando a parte inicial da obra, haverá recomposição do reboco removido.

Portas corroídas pelo tempo

A etapa seguinte, explica Paulo, “será conserto do telhado, torres, fiação elétrica, demolição completa do forró e colocação de novos rufos, calhas e condutores de água. Na terceira etapa, faremos a restauração de todas as portas e janelas, uma a uma, de acordo com nossas possibilidades financeiras.”

A Igreja, que tem sérios problemas na estrutura, será entregue à população totalmente restaurada

Quando as três etapas estiverem concluídas, “já é nosso plano, voltar a celebrar na capela. Então, cuidaremos das parte externa, o que inclui inspeção para encontrarmos escada original da entrada principal ou vestígios da mesma. Faremos a seguir, o passeio em concreto, à semelhança do existente à época de sua construção. Finalmente, reparos na alvenaria externa e pintura, também, externa.” Embora tudo esteja planejado, é impossível prever quando a obra será concluída, porque a Igreja não dispõe de todo o dinheiro. Arrecadou o necessário para a primeira etapa através de bingos e outros eventos. Pretende fazer o mesmo, contando com o apoio da comunidade.

Leia também:
O velho templo pede socorro

A praça do bairro Boa Esperança é nossa
Tendo à frente padre Felipe Lemos, a Igreja começa a realizar eventos na cidade, para angariar fundos destinados à realização da Festa de Santa Luzia, o Jubileu, no dia 13 de dezembro.Jovem e incansável, padre Felipe realizou este ano uma das Semanas Santas mais bonitas que os luzienses já assistiram. E, com certeza, vai nos brindar com uma linda festa. Na próxima sexta-feira, 10 de maio, o evento para levantar o dinheiro para o Jubileu será na Praça do bairro Boa Esperança.

Como você pode ver no cartaz, o encontro na Praça vai ser animado, com barraquinhas, música boa e brinquedos para a criançada. O objetivo é atrair as famílias.

Dia de Santa Cruz celebrado em Pìnhões

Pinhões ganhou um cruzeiro, ao lado da Igreja de Nossa Senhora do Rosário, que foi abençoado nesta sexta-feira. Foto: Luzias

Celebra-se nesta data a recordação do dia em que Santa Helena encontrou a cruz de Cristo. Em muitas comunidades tradicionais o dia é marcado por celebrações bem características, com procissões, rezas em torno do Cruzeiro, cânticos e danças. Existem vários costumes em torno dessa devoção, um deles é ornamentar as cruzes com papéis coloridos, fitas e flores e colocá-las nas portas das casas. Acredita-se que, na madrugada do dia 03 de maio, Nossa Senhora visita as casas que tiverem uma cruz enfeitada na porta.A devoção, embora suprimida pela Igreja Católica que transferiu as celebrações de Santa Cruz para o dia 14 de setembro, continua viva em muitos lugares de Minas Gerais. Em Pinhões, um cruzeiro erguido ontem, 03 de maio, foi abençoado, acompanhado pelas orações e cantos da Guarda de Congo Divino Espírito Santo. Também houve procissão, Missa e levantamento da bandeira. A Santa Cruz é sinal de salvação, pois nela Jesus Cristo entregou sua vida para redimir a humanidade.

Um evento para levantar fundos para o Asilo São Jerônimo

Prestigie o evento que será realizado na próxima sexta-feira, a partir das 20h, para ajudar a levantar dinheiro que será aplicado na manutenção da casa de proteção à infância e adolescência, criada por Dona Mariinha Moreira na década de 1940. O Asilo abriga 14 jovens. Já a creche atende a 144 crianças.

Academia homenageia luzienses das letras e das artes

O auditório do Domingos Ornelas ficou lotado: evento foi bastante elogiado

A expressão “querer é poder”, testada à exaustão mundo a fora, exibiu mais uma vez o seu fundo de verdade, dia 29, na homenagem que a A Luz prestou a luzienses que escrevem, compõe, tocam, pintam, representam, cantam e dançam como gente grande. Artistas. Que satisfação foi ver o presidente da entidade, professor José Rodrigues França, subir ao palco com o seu fardão e, no rosto, a expressão de uma criança que ganhou o presente desejado.

O presidente da Aluz, José Rodrigues França, e Íris Mendes,com uma pequena escultura em homenagem ao saudoso Dr. Rocival, que dava todo apoio à Academia

França e a equipe organizadora da Aluz merecem de nós muito respeito, admiração e aplausos de pé, porque o trabalho deles continua árduo, como no começo. Não há descanso. Os recursos são escassos, e as dificuldades muitas.

Ramón Damásio, do Jornal Virou Notícia e o cantor Tom Nascimento, estavam entre os homenageados

Mas… Que nada, a turma jogou o negativo para escanteio, reuniu num só salão o entusiasmo dos envolvidos na construção da cultura. O resultado foi a festa no colégio Domingos Ornelas.

Lisa e Carlinhos Santana, ela, atriz, e ele jornalista, também receberam a homenagem

Veja a beleza da apresentação da bailarina Jheniffer Gonçalves, do Estúdio Letícia Soares, aluna da escola de dança do Palácio das Artes, da durante a cerimônia:

É o caminhar da Academia. No começo, pouca gente acreditou que ela iria sobreviver. Os pessimistas diziam “em Santa Luzia, nada vai para frente.” A ALuz foi. Que bom para a cidade e para todos nós.

Encontro maravilhoso de velhos amigos

Marília Gabriela e Carlinhos Santana: os dois são amigos desde a década de 70, quando ele trabalhava no Estadão, em São Paulo

Marília Gabriela, apresentadora e atriz, veio a Belo Horizonte para apresentar, no Cine Theatro Brasil Vallourec, durante dois dias, a peça A Casa das Bonecas – Parte 2, na qual interpreta a protagonista Nora Helmer, numa atuação muito elogiada. A foto, feita no camarim do teatro, depois da última apresentação, no domingo, foi postada pela atriz no Instagram, na terça-feira, 30 de abril. Ela escreveu: “Zé Carlos Santana, jornalista, padrinho de um dos meus filhos, durante muitos anos foi correspondente na BBC de Londres onde, por um tempo, como correspondente do Fantástico, eu fui sua “roommate”. Ave, Zeca, querido.” Numa outra foto também postada no Instagram, dela com os colegas agradecendo no final da peça, Marília comentou: “Emocionados com os mineiros, em mais uma noite inesquecível.”

Marcelino Guimarães Perpétuo, nosso querido Cilico, chega aos 90
Não poderia ter havido uma festa mais merecida. Filhos, netos, bisnetos, amigos e parentes se juntaram para cantar parabéns e aplaudir Sô Cilico, que completou 90 anos no dia 27 de março. São nove décadas dando exemplo de integridade e honradez.

O foco é nos 90. Atrás, ao lado da querida Salia e da filha Elzira, ele celebra o privilêgio de completar nove décadas de vida

Exímio violeiro, ele vive semeando o bem e a alegria. É simplesmente adorado – e sempre paparicado – pelos filhos, netos e bisnetos. Cilico e sua doce Salia, companheira de tantas décadas, vivem uma vida tranquila, de bem com os vizinhos, cercados de cuidados, indiferentes à passagem do tempo.

Rodeados dos filhos: Elza, Elzira, Elias, Beto, Elizete, Vado e Juca

A força para continuar seguindo adiante vem da alta dose diária de afeto que recebem de todos ao redor. Parabéns, Sô Cilico! Parabéns, Salia! Parabéns família Perpétuo!

Netos e bisnetos cercam Silico e Salia de carinho

Deixe um comentário

Mantemos a privacidade de seu e-mail. Os campos obrigatórios estão marcados com *

Cancel reply

2 Comentários

  • Suzane Duarte
    4 de maio de 2019, 15:12

    Olá! Também deixar registrado que a Comissão de Saúde, Ação Social e Meio Ambiente da Câmara Municipal, foi recebida pelo Rafael Ahid, das Relações Institucionais da Vale, no mês de março/2019, quando os vereadores foram buscar esclarecimentos acerca da situação de Santa Luzia num panorama de risco de rompimento de outras barragens.

    Parabéns pelo trabalho e pelo esforço em democratizar informações sobre nossa cidade!

    Grande abraço!
    Suzane Duarte

    RESPONDA
  • Elzira Divina Perpétua
    4 de maio de 2019, 22:54

    Graças ao esforço de luzienses como Paulo Geovanini é que a cidade ganhará a merecida reforma de que tanto necessita. Na bela e triste crônica que ele publicou neste blog em 22 de abril, ficou clara a urgência dessa obra. Parabéns, Paulo e demais pessoas que lutaram para esse resgate da história de Santa Luzia!

    RESPONDA