Programa sobre Mosteiro de Macaúbas é hoje. Leia essa e outras notícias da cidade

Programa sobre Mosteiro de Macaúbas é hoje. Leia essa e outras notícias da cidade
Os graves problemas do Mosteiro serão mostrados na reportagem que o jornalista apresentará logo mais na GloboNews, depois de passar dois dias em Santa Luzia

Leia as alguns dos fatos que foram ou são notícia em Santa Luzia, na primeira semana do mês de junho. Um programa imperdível hoje é o de Fernando Gabeira, que vai falar sobre o estado de deterioração do precioso Mosteiro de Macaúbas.

Luzias

O programa ”Fernando Gabeira”, apresentado pela GloboNews(canal 40) todos os domingos, às 18:30, será dedicado logo mais ao Mosteiro de Macaúbas. A reportagem tem como objetivo mostrar ao Brasil o estado lastimável em que se encontra essa preciosidade histórica, um dos quatro monumentos religiosos e arquitetônicos mais importantes do período colonial em Minas Gerais.

Foto feita pela equipe de Gabeira, que teve acesso a todas as partes do Mosteiro

Como escreveu Carlinhos Santana, responsável pela vinda de Gabeira, de quem é amigo, o Mosteiro de Nossa Senhora da Conceição de Macaúbas, que o ermitão alagoano Félix da Costa fundou nas margens do Rio das Velhas em 1714, em honra à mãe de Cristo, de quem era devoto, e que no século XIX, antes de as acomodações serem entregues a monjas concepcionistas, que o administram até os dias de hoje, foi ocupado pelo primeiro colégio feminino do estado.

Veja um trecho do programa:

A expectativa é que, depois da reportagem, mostrada para todo o país, o Mosteiro receba mais doações, que permitam levar adiante as obras de restauração da construção tricentenária, de 200 cômodos. Como o processo de recuperação do monumento custará muito dinheiro, foi lançada a campanha “Abrace Macaúbas”, pedindo doações que ajudem a salvar o Mosteiro. Foi aberta uma conta especificamente para recolher as doações. Qualquer quantia pode ser depositada na Caixa Econômica Federal – Nome: Mosteiro de Nossa Senhora da Conceição Macaúbas; Agência:1066; Operação 013; Conta Poupança: 75.403/4; CNPJ: 19.538.388/0001-07.

Quer comprar o livro “Barões de Santa Luzia: Informações preliminares?

O livro foi escrito por Beto Mateus e pelo Promotor Marcos Paulo. Foto: Marcos Ikeda

Os interessados em comprar o livro “Barões de Santa Luzia: Informações preliminares”, de Beto Mateus e Marcos Paulo de Souza Miranda, lançado na semana passada, em evento da Associação Cultural Comunitária de Santa Luzia, devem entrar em contato com a Associação através do e-mail: associacaoculturalsantaluzia@gmail.com. O livro – ou livreto, como chamam os autores -, de 36 páginas e ilustrado com fotos inéditas da cidade do início do século 20, faz parte de uma ampla pesquisa realizada pelos autores. É um trabalho da maior importância, pois ajuda a compreender o papel dos barões de Santa Luzia no desenvolvimento da cidade.

A bicentenária igreja de frente para a Matriz

A Igreja do Rosário realçada pela iluminação, na imagem colhida por Carlos Magno

Vista noturna da Igreja de Nossa Senhora do Rosário, na Rua Direita, erguida de frente para a Matriz, em 1755, pelos negros. Essa Igreja, totalmente restaurada, é parte integrante do Centro Histórico e tem um interior simples, com altares dedicados a Nossa Senhora do Rosário, Sagrado Coração de Jesus e Nossa Senhora das Dores, hoje totalmente restaurada. Seu adro, cujas pedras foram retiradas para uma obra que, felizmente, acabou não sendo feita, foi totalmente recuperado. Numa dessas noites frias de junho, Carlos Magno fez a bonita foto.

A inspiração do Promotor Marcos Paulo vem “dos Luzias”
O Jornal Virou Notícia fez, nos últimos dias, uma breve, mas importante entrevista com o promotor de justiça, Dr. Marcos Paulo de Souza Miranda. Atualmente, segundo ele, a Promotoria trabalha em 570 investigações e diversos processos judiciais. E a cada dia o trabalho aumenta mais. “As batalhas são grandes”, diz o Promotor, fazendo um paralelo com os rebeldes da Revolução de 1842, cuja última batalha foi travada em Santa Luzia. “Nós nos inspiramos no exemplo deixados pelos Luzias. Os Luzias foram tidos como leões feridos que lutaram até o último minuto, por acreditarem que estavam fazendo a coisa certa”, comparou.

Veja a entrevista:

Dr. Marcos Paulo tornou-se uma das figuras mais importantes na luta em favor de uma Santa Luzia melhor. Ele é um estudioso cidade e, com certeza, vai passar para a História luziense como um dos mais ferrenhos defensores da terra que o poeta Olavo Bilac, também fazendo referência à Revolução de 1842, classificou de “tradição viva da bravura mineira.”

Para alegria dos moradores, Cruzeiro de Cruz das Almas é reconstruído

O cruzeiro no cruzamento das ruas Santa Luzia, Serro e Dr. Francisco Vianna Santos (antiga rua da Lapa), que, inclusive, dá nome à região: Cruz das Almas. Foto: Carlos Magno

Em artigo escrito para o Luzias , Beto Mateus conta que “em toda Minas Gerais, e ao longo da história do surgimento dos povoados, os cruzeiros sempre foram instalados ao longo das estradas, no cume dos morros ou nos cruzamentos dos caminhos, para proteção dos viajantes dos riscos que os cercavam – índios violentos, assaltantes e animais selvagens.”

Conta ainda que, “em Santa Luzia, os cruzeiros se espalharam ao longo das vias de passagem, à beira das estradas, como verdadeiros relicários da fé capazes de reunir em torno de si alguns rituais da devoção popular. Japhet Dolabella, no clássico Santa Luzia nasceu do rio… (1984, p.167) – uma das obras mais completas sobre os antigos costumes da cidade, relembra a implantação dos cruzeiros:

– Contam os antigos moradores do lugar que os primeiros cruzeiros erguidos no velho Bom Retiro, achavam-se no antigo Caminho dos Bandeirantes, como marcos. Este caminho passava pelo Campinho, Igreja de Sant’Ana, hoje Rua Detrás, indo até a atual Igreja Matriz. Tenho a impressão de que estes cruzeiros já desapareceram com o “progresso”. No entanto, suponho que o do Alto de Santa Cruz ainda exista.” Clique aqui para ler matéria completa sobre os cruzeiros da cidade.”

Campanha questiona o que estamos fazendo com o Rio das Velhas

Esgoto de Caeté e Sabará é todo lançado em ribeirão que deságua no Velhas. (foto: Ramon Lisboa/EM/D.A Press. )

O Comitê da Bacia Hidrográfica do Rio das Velhas vai divulgar no próximo dia 24 de junho a sua nova campanha – “Que rio queremos: cuidar é melhor que destruir” -, que tem como objetivo fazer com que repensemos a nossa atitude em relação aos rios, de uma maneira geral, e, em particular, em relação ao principal afluente do Rio São Francisco. O Rio das Velhas, sobretudo no trecho em que passa pela Região Metropolitana de Belo Horizonte, tornou-se um simples escoadouro da poluição lançada pelas indústrias ao longo de seu curso e também do esgoto que ainda ainda é canalizado para o desprezado rio, noutros tempos navegável.

O coordenador do Programa de Comunicação Social e Relacionamento do Comitê, Luiz Ribeiro, explicou que “a campanha tem como mote os rompimentos de barragens de mineração que impactaram severamente as bacias dos rios Doce e Paraopeba, em 2015 e 2019, mas não se limitará a discutir unicamente esse tema. “Também serão trabalhados outras questões que afetam negativamente a bacia e o rio, como o saneamento, a agricultura, o uso e a ocupação do solo de maneira geral na bacia.”

Nós dos Luzias achamos que passou da hora de se fazer uma verdadeira campanha para preservar, proteger o Rio das Velhas, tão importante para Santa Luzia e de visão tão triste, já que suas águas tornaram-se um caldo escuro, grosso, por causa dos poluentes. A meta do governo estadual, na gestão do então governador Aécio Neves(2003-2010), era despoluir o Rio até 2010. Quase 10 anos e vários governos depois, continuamos na estaca zero.

Santa Luzia perde seu ex-Prefeito Rui Avelar

Rui Avelar morreu na sexta-feira, 7 de junho, no dia em que completava 90 anos

“Em sinal de profundo pesar”, a Prefeitura Municipal de Santa Luzia decretou três dias de luto a partir da sexta-feita, 07 de junho, pelo falecimento do ex-Prefeito Rui Avelar de Souza Lima. De família muito conhecida e querida na cidade, Rui Avelar faleceu em casa, na madrugada de sexta, dia de seu aniversário, aos 90 anos. Eleito Prefeito de Santa Luzia em 1982, ele governou a cidade de 1983 a 1988. Rui também foi vice-Prefeito da cidade, eleito na chapa com Carlos Calixto, em 1996. Durante sua trajetória como prefeito, vários investimentos foram feitos, como a construção da antiga policlínica, hoje Hospital Municipal Madalena Calixto, e a construção da Escola Municipal Etelvino Souza Lima, que leva o nome de seu pai.

Deixe um comentário

Mantemos a privacidade de seu e-mail. Os campos obrigatórios estão marcados com *

Cancel reply