SL recebeu 762 doses da Coronavac. E não sabe quando chegarão mais vacinas

SL recebeu 762 doses da Coronavac. E não sabe quando chegarão mais vacinas
Técnico em Enfermagem Anderson Estêvão, primeiro vacinado contra a Covid-19, em Santa Luzia(MG). Foto: Site da Prefeitura

Luzias

Das duas vacinas que estão sendo aplicadas no Brasil, a de Oxford e a Coronavac, Santa Luzia recebeu apenas a segunda, produzida em parceria do Instituto Butantã, de São Paulo, com empresa chinesa Sinovac. E o número de doses destinados à cidade – somente 762 – foi tão pequeno, considerando que o município tem em torno de 230 mil habitantes -, que deu para imunizar apenas o pessoal da saúde, gente que trabalha na linha de frente, atendendo os pacientes infectados com o novo coronavírus.

A Prefeitura optou por usar todas as vacinas de uma vez, nessa primeira fase, o que significa que precisa receber em breve outro lote da Coronavac para concluir a imunização dos vacinados. Toda pessoa necessita receber duas doses, caso contrário não estará protegida. A segunda dose tem que ser aplicada entre 14 e 28 dias após a primeira. O que significa, no caso de Santa Luzia, que a seguna remessa a Coronavac tem que chegar nas próximas três semanas, ou a vacina não surtirá efeito.

Além do número do número de doses ser muito pequeno, o Secretário de Esportes da cidade, Marco Aurélio Silva, foi exonerado nesta quarta-feira, quando foi descoberto que ele furou a fila e se vacinou, mesmo sem estar no grupo de risco. O caso foi noticiado para todo o Brasil. Outros três funcionários foram punidos. Veja um trecho da reportagem veiculada esta manhã pela GloboNews:

Não há previsão
De acordo com a assessoria de imprensa, Santa Luzia ainda não foi notificada de quando vai receber novas doses da Coronavac. “A Prefeitura não tem previsão de quantas doses vai receber e nem quando vai chegar. O Estado ainda não se manifestou sobre o assunto,” informou a assessoria ao Luzias. Significa que o grosso da população, mesmo a parcela considerada prioritária, vai ter que conter a ansiedade e continuar esperando.

Seguindo o Plano Nacional de Imunização, que definiu os trabalhadores da linha de frente de enfrentamento da Covid-19 como prioritários, em Santa Luzia, os primeiros a serem imunizados foram os funcionários da UPA São Benedito, do Hospital Municipal Madalena Calixto e do Hospital São João de Deus, que possui uma ala exclusiva para o tratamento da Covid, nos casos moderados e graves. Neste momento, como informa a Secretaria Municipal de Saúde, há 11 pacientes no CTI e outros 19 na enfermaria.

Novas doses
Como ninguém sabe ao certo quando haverá mais vacinas nem o número delas que a cidade vai receber, a Prefeitura não sabe ao certo qual será o próximo grupo a ser imunizado: “Vai depender da quantidade de doses que o município irá receber. A proposta da secretaria de Saúde é que assim que forem encaminhadas novas doses da vacina, seja ampliado o número de pessoas vacinadas.”
Os demais grupos prioritários foram definidos assim:

– Pessoas a partir de 18 anos com deficiência residentes em residências Inclusivas (institucionalizadas): 50

– Pessoas idosas residentes em instituições de longa permanência: 450

– Equipes de vacinação que estiverem inicialmente envolvidas na vacinação; Trabalhadores dos serviços de saúde públicos e privados, tanto da urgência quanto da atenção básica, envolvidos diretamente na atenção/referência para os casos suspeitos e confirmados de covid-19 e demais trabalhadores de saúde : 2251

– Profissionais de saúde: 2.971

– Grupo com comorbidades: 46.443

– Pessoas de 80 anos e mais: 3.400

– Pessoas de 60 a 79 anos: 26.337

– Funcionários do sistema de privação de liberdade: 90

– População privada de liberdade: 90

– Pessoas em situação de rua: 50

– Forças de Segurança e Salvamento: 118

– Forças Armadas: 657

– Trabalhadores da Educação: 4.234

– Indígenas: 0

Deixe um comentário

Mantemos a privacidade de seu e-mail. Os campos obrigatórios estão marcados com *

Cancel reply