A quem interessa atear fogo na fazenda onde a cidade luta pra criar um parque?

A quem interessa atear fogo na fazenda onde a cidade luta pra criar um parque?
Até a noite, a vegetação continuava sendo consumida pelo fogo criminoso, ateado por covardes na antiga fazenda

Luzias

Uma semana depois do incêndio de grandes proporções que consumiu boa parte da antiga fazenda de Vicente Araújo, às margens do Rio das Velhas, novamente, nesta quinta-feira(5), a área voltou a arder, com labaredas altas, provocando muita fumaça. Até agora não se sabe quem está por trás desses crimes que, com certeza, visam a não só destruir a única área verde da região central de Santa Luzia, mas, principalmente, desestimular a população a lutar para transformar a antiga fazenda num parque municipal.

Os moradores vêm se mobilizando para impedir que a Emccamp Residencial S/A, empresa de Belo Horizonte, leve adiante o projeto de parcelar o terreno num total de 538 lotes, criando um enorme empreendimento imobiliário, sem qualquer estudo do impacto que a ocupação do local, tão próximo do Centro Histórico, vai causar no restante de Santa Luzia. Apesar de o estatuto da cidade determinar, nesses casos, a realização de audiência pública, isso está sendo ignorado. E todo o processo vem se desenvolvendo sem qualquer discussão com os moradores.

O entendimento da vasta maioria dos moradores que sofrerão com os impactos do empreendimento é que a cidade deve se unir para pressionar pela criação do Parque Vicente Araújo, já que tanto a Prefeitura como a Câmara Municipal mostram-se a favor do loteamento. Se levado adiante, 2500 árvores de fragmento de Mata Atlântica serão simplesmente cortadas. Mesmo assim, o projeto recebeu o nome de “Cidade Jardim.”

Veja o vídeo do Jornal Virou Notícia do incêndio de quinta-feira, 29 de julho:

Os incêndios estão se sucedendo na área da antiga fazenda, sobretudo nos últimos tempos. O que se pergunta é: a quem interessa essa destruição? Quem ganha com essa ação tão covarde? Quem lucra pagando incendiários para acabar com patrimônio pertencente à cidade? Como da vez anterior, o Corpo de Bombeiros e a Defesa Civil estiveram no local, gastando água, tempo e dinheiro. É preciso uma investigação rigorosa. Crimes como esse que se repetiu nesta quinta-feira não podem ficar impunes.

Para entender melhor o que está em jogo, leia:

Projeto de construir 537 habitações pode destruir área verde no centro de Santa Luzia

Que Santa Luzia retire a venda dos olhos de quem ainda não viu a importância da Fazenda Vicente Araújo para a cidade


Deixe um comentário

Mantemos a privacidade de seu e-mail. Os campos obrigatórios estão marcados com *

3 Comentários

  • Paulo Giovannini
    5 de agosto de 2021, 22:20

    Maya, querida e assustada amiga, suas perguntas, você bem o sabe, já são formuladas com respostas prontas, na ponta de nossas línguas. Ontem à noite meus pulmões me contaram que havia um incêndio aqui perto. Certamente estamos falando do mesmo episódio. Não podemos tardar. Precisamos nos posicionar, mostrando nossas caras, antes que o irremediável aconteça. O confronto de idéias é inevitável. Precisamos mostrar que somos os donos desta cidade e exercermos nosso direito de opinar e decidir. Já peguei meu cabo de vassoura.

    RESPONDA
  • Leonardo Carvalho
    6 de agosto de 2021, 02:06

    Na noite anterior à relatada queimada , passava pela Beira Rio por volta das 19:00 hrs, quando chamou a atenção de meu filho, 3 cavalheiros saindo do pasto da fazenda puxando alguns outros cavalos do local.
    Por que será que na noite anterior retiraram os cavalos ?
    É sabido na cultura popular , que existe o costume de se atear fogo nos pastos, na época de seca afim de o mesmo brotar mais vigoroso nas primeiras chuvas , ou seja , nada mais do que um descaso de pessoas sem noção ou qualquer preocupação com o próximo que sofre , muitas das vezes com problemas respiratórios, além da baixa umidade do ar .
    Uma dica às pessoas que colocam fogo na fazenda todos os anos , sejam mais cavaleiros com o próximo , não apenas simples cavalheiros.

    RESPONDA
  • Mirlei Cruz
    6 de agosto de 2021, 09:32

    Não há ser humano que aguente tanta queimada! Como podem destruir uma vegetação linda para construir prédios? Como ficará o transporte? Mal tem onibus para os moradores…Como ficará a saúde? Mal tem atendimento para os que já moram na cidade.. Mas a ninguém olha para o bem estar do povo…

    RESPONDA