Prefeito sofre novo processo de cassação e outras notícias importantes da cidade

Prefeito sofre novo processo de cassação e outras notícias importantes da cidade
É a segunda vez que Christiano Xavier, 43, sofre um processo de cassação. Este, a pouco mais de dois meses das eleições de 15 de novembro

Além desse outro processo para afastar o Prefeito, você vai ler sobre a visita da Secretária Nacional ligada a programas sociais ao Asilo São Jerônimo, a decisão de Paulo Giovannini de se afastar da coordenação das obras restauração da Capela de São João Batista e sobre os 94 anos de Terezinha Mateus. Também vai saber da classificação de uma música cantada por Ana Giovannini no Festival Nacional da Música e ainda ver fotos da bela planta que enfeita a imagem de Santa Luzia. E,, para terminar, a notícia mais triste: o falecimento precoce de Carlinhos Ferreira, sobrinho de Dr. Oswaldo, aos 66 anos.

Luzias

A hostilidade crescente entre o Prefeito de Santa Luzia e a Câmara Municipal ganhou novo capítulo esta semana: pela segunda vez em pouco mais de dois anos Christiano Xavier(PSD) está sofrendo um processo de cassação, aprovado pelos vereadores na terça-feira(08) por 9×7.

São 28 denúncias contra o Prefeito, que reagiu com fúria ao tomar conhecimento desse novo processo contra ele.. Entre elas, o não cumprimento de leis municipais em vigor, desvio de valores da contribuição de iluminação pública cobradas de lotes vagos, contratação de empresas fantasmas para obras no município, contratação fraudulenta de empresas de eventos e utilização indevida de recursos do Fundo Municipal de Saneamento Básico.

A favor da cassação ficaram: Nilsinho, Bigodinho, Sandro Coelho, Suzane, Marcelino, Henry Santos, César Diniz, Balú e Vagner Guiné. Os vereadores que votaram contra a instauração do processo para impedir a continuidade da administração do atual Prefeito foram Ticaca, Luiza do Hospital, Zé Cláudio, Neylor Cabral, André Leite, Márcio Ferreira e João Binga.

Leia o artigo publicado nesta quinta-feira(10) pelo jornal O Tempo:

A Câmara Municipal de Santa Luzia, na região Metropolitana de Belo Horizonte, vai analisar a partir da próxima semana as denúncias que originaram a abertura de um novo processo de impeachment contra o prefeito do município, Christiano Xavier (PSD). Na última terça-feira (8), por 9 votos a 7, os vereadores acataram por receber e abrir uma comissão processante para investigar as 28 denúncias que foram protocolizadas na casa pelo ex-vereador João Batista Lopes. Esse é o segundo processo de impeachment instaurado que o chefe do executivo municipal deve enfrentar no atual mandato e ocorre dez meses após o primeiro ter sido arquivado.

Três vereadores já foram escolhidos, por meio de sorteio, para compor a comissão processante: Sandro Coelho (PSL), Suzane Duarte (PT) e Zé Cláudio (PV). Apesar disso, o comentário nos bastidores da casa é de que tanto o vereador Sandro Coelho quanto a vereadora Suzane Duarte devem abdicar da participação na comissão, o que deve ser confirmado na próxima sessão, marcada para terça-feira (15). Dessa forma, novos integrantes da comissão precisarão ser escolhidos, para a partir disso definir quem será o presidente, o vice e o relator do grupo de trabalho.

O documento com as 28 denúncias feitas pelo ex-vereador João Batista tem 82 páginas e foi protocolizado na câmara municipal no dia 31 de agosto. Segundo interlocutores, junto ao documento, também foi entregue um pen drive com áudios e vídeos que comprovariam as supostas irregularidades praticadas pelo prefeito. Dentre essas supostas infrações listadas pelo autor das denúncias estão: a contração de empresa fantasma por parte da prefeitura para execução de serviços; a interferência em atos da Câmara Municipal; a ausência do prefeito do município sem que haja consentimento do legislativo como define a Lei Orgânica Municipal; o envio de proposta orçamentária anual fora do prazo para a câmara, dentre outros.

O texto afirma que todas as irregularidades teriam ocorrido entre 2018 e 2020. “Vários atos do prefeito são contrários ao decoro do cargo, inclusive infringido princípios constitucionais, como a impessoalidade, e atentando gravemente à integridade dos poderes e da democracia”, traz o texto.

O vereador César Lara (PCdoB) afirma que as denúncias são graves e por isso votou a favor para que elas fossem investigadas. Apesar da euforia que a abertura de um processo de impeachment causa às vésperas das eleições municipais, o parlamentar minimiza a situação, dizendo que caberá à comissão processante analisar as denúncias e as provas protocolizadas e que, caso não haja a comprovação de qualquer irregularidade tudo será arquivado.

“Enquanto parlamentar eu entendo que uma das nossas funções é a fiscalização. Então entendi por bem em aceitar para aprofundar a leitura, para aprofundar a investigação dessas denúncias, para depois sim a gente emitir um voto com mais segurança, se merecer ou não, se está comprovado ou não, algum daqueles itens ali, para se ter o impeachment propriamente dito. Nesse primeiro momento a gente está votando por investigar. Como uma das tarefas do vereador é a fiscalização, seria contraditório da minha parte ter um voto diferente”, disse.

Circo político

As denúncias injetam “gasolina” no já acalorado cenário político de Santa Luzia, já que os trabalhos da comissão processante podem durar até 90 dias, coincidindo inclusive com o período de eleições. No mesmo dia da abertura do novo processo de impeachment, o prefeito Christiano Xavier (PSD) fez uma live nas redes sociais, em que classificou as denúncias como “sem pé, nem cabeça” e disse que está sendo vítima de um circo político.

“Ela foi feita por um ex-vereador de Santa Luzia que é candidato a vereador. São 28 acusações, cada uma mais sem pé e nem cabeça que a outra. Parece uma piada de mau gosto. Isso é circo político. Tem que apurar é lá no tribunal de contas, na polícia e no ministério público. Mas lá eles não querem levar, porque lá eles não conseguem fazer circo político e palanque eleitoral”, disse o prefeito.

Xavier também fez críticas aos vereadores que votaram pela abertura do processo de impeachment. “É muito difícil. O trem já é difícil, trabalhoso, complicado, burocrático. Ainda arruma um monte de vereador sem compromisso com a cidade, que só tenta atrapalhar, jogar casca de banana e puxar para trás. E agora, no momento de uma pandemia dessa, que a cidade passa por uma momento de crise, mais isso para afugentar o capital, o investidor no município, para piorar ainda mais as coisas. Isso é um desserviço para a cidade de Santa Luzia”, critica Xavier.

Cenário conturbado

Christiano Xavier foi eleito prefeito de Santa Luzia em junho de 2018, após a então prefeita Roseli Pimentel (PSB) renunciar ao cargo. A ex-mandatária municipal é suspeita de ser a mandante do assassinato de um jornalista da região e ainda aguarda para ir a júri popular.

Em 2019, Xavier enfrentou o primeiro processo de impeachment. Na denúncia feita pelo advogado Abrãao Gracco, que em 2018 concorreu para o cargo de prefeito na eleição suplementar, constava que Xavier teria feito Uma viagem ao exterior sem autorização da Câmara Municipal, efetuado gastos de recursos com o aniversário da cidade e suspendido cirurgias eletivas no município. O processo acabou sendo arquivado, já que na votação final 11 vereadores votaram contra o impedimento e apenas cinco foram a favor e uma ausência foi registrada.

Santa Luzia recebe visita de secretária nacional

A secretária Petrúcia de Melo Andrade(bata branca) com a presidente do Instituto São Jerônimo, Elizabeth Teixeira Tófani, e os membros do conselho

No último sábado (05/09), esteve em Santa Luzia, a secretária nacional adjunta dos Direitos da Criança e do Adolescente, Petrúcia de Melo Andrade, que veio conhecer de perto o Instituto São Jerônimo, uma das instituições de assistência social mais antigas da cidade. A secretária fez uma visita de cortesia para conhecer o trabalho da instituição ao longo de quase 80 anos e conversar sobre as diretrizes de trabalho da secretaria nacional.

Petrúcia foi recebida pela presidente do Instituto, Elizabete Teixeira Tofani, e por membros do seu Conselho administrativo como Lésia Sarah, Regina Carvalho Fonseca, Carlos Dias, Dorinha Reis, dentre outros, e funcionários da casa. Durante a visita, Petrúcia assistiu à uma apresentação teatral preparada pelas próprias internas da casa.

A secretária com as crianças internas do Asilo São Jerônimo. Foto: Carlos Dias

A secretária disse estar impressionada com o vigor da instituição e conversou sobre os dilemas e as várias situações vivenciadas no cotidiano das casas de acolhimento. Graduada em Psicologia, Petrúcia Andrade atuou na Secretaria Municipal de Desenvolvimento Social e na Secretaria Municipal de Direitos e Cidadania, em Contagem/MG.

Na próxima sexta-feira, será a vez dos membros do Conselho de Administração do Instituto fazerem uma visita à promotora Paula Lino da Rocha Lopes, da 2ª Promotoria de Justiça de Santa Luzia, para apresentarem os trabalhos desenvolvidos pelos conselheiros na administração da instituição. A gestão do Instituto, empossada em julho de 2020, tem quatro anos de trabalho pela frente e espera contar com o apoio de todos os luzienses para superar as dificuldades.

As internas do asilo fazendo uma apresentação teatral

São Jerônimo: 79 anos de amor às crianças
A Sociedade de Proteção à Infância, atual Associação de Proteção, Infância e Assistência Social de Santa Luzia, foi criada em 20 de junho de 1941 por Maria do Carmo Moreira, mais conhecida por D. Mariinha. A Associação é a mantenedora do Instituto São Jerônimo, criado à época como internato para meninas órfãs e carentes da cidade e vizinhanças.

Santa Luzia e todos nós saímos perdendo

Várias etapas da obra na Capela de São João Batista já estão prontas graças ao trabalho incansável de Paulo Giovannini

Consideramos profundamente lamentável o afastamento do dentista Paulo Giovannini, por decisão dele próprio, da coordenação das obras de restauração da Capela de São João Batista, na Ponte – trabalho que ele fazia de maneira voluntária, com toda seriedade e total empenho.

O Luzias recebeu de um morador da Ponte cópia de uma carta, sóbria e elegante, datada de 05 de setembro, enviada por Paulo ao Padre Marcos Antônio, responsável pela Capela, na qual ele comunica que está deixando suas atividades na Capela “após muitos anos de dedicação e zelo, sempre com muita responsabilidade e lisura, testemunhadas por toda a comunidade paroquial.”

Paulo continua a carta dizendo: “Como considero já ter cumprido a minha missão, acredito ter chegado o momento de ceder o espaço para outros paroquianos, que podem continuar o trabalho com a mesma dedicação.”

É de se lamentar que Paulo Giovannini tenha se desmotivado e optado por se afastar se afastar de um trabalho que amava e vinha fazendo com esmero, há anos.

O triste é constatar que ninguém ganha com esse afastamento. Dito de outra maneira, todos perdem com a ausência de Paulo Giovannini à frente de um trabalho fundamental para a recuperação de um dos patrimônios de Santa Luzia. A cidade deve muito a esse honrado luziense.

Os 94 anos da tão querida Terezinha Mateus

A aniversariante com o afetuoso irmão, José Mateus

Terezinha Mateus comemorou com os filhos, Waguinho, Sandra, Ritinha, Juca e Hércules, seus 94 anos de vida, nesta quarta-feira, 09 de setembro. Nosso abraço mais carinhoso para essa aniversariante tão querida.

Música cantada por luziense é classificada em Festival Nacional
Aqui está o vídeo do Festival Nacional da Canção, nos dias 4 e 5 de setembro, com a apresentação da linda música Bate Bateia, de Marcos Silva Cunha, cantada por Ana Giovannini, que ficou entre as 50 selecionadas de um total de quase duas mil inscritas. O acompanhamento é de Joimar Santos, contrabaixo, Marcos Silva Cunha, contrabaixo, Calvin Badu Albricker e João Francisco, percussão:

Quero compartilhar uma grande alegria: Nossa música foi classificada no Festival Nacional de Canção!!! Foi transmitido ontem, ao vivo, e deixo aqui a parte dedicada a ela. A harmonização vocal e os arranjos de violão contidos na música original tiveram que ser extraídos devido ao regulamento do Festival. Mas não diminuiu a beleza, também vinda da simplicidade da letra (em breve, divulgarei a versão original). Vou dividir com vocês um detalhe importante: Marquinho fez esta música pra mim, num momento ruim da minha vida, onde, segundo ele, eu perdi o brilho do olhar. Mas passou, e como eu já disse: "A música sempre me tira do buraco". Todo trabalho é recompensado. Aproveito para agradecer aos organizadores do Festival, aos músicos Joimar Santos, Marco Silva Cunha, Calvin Badu Albricker, João Francisco 💖. Ao Marco, em especial, por me confiar a rica chance de interpretar, de dar voz às suas letras e melodias.Bate bateia – Música de Marco Silva CunhaViolão: Joimar SantosContrabaixo: Marco Silva CunhaPercussão: Calvin Badu Albricker e João FranciscoVoz: Ana Giovannini

Posted by Ana Giovannini on Saturday, September 5, 2020

Por causa da pandemia, o Festival, como vem acontecendo com tudo mais no país, foi apresentado pela internet. Os resultados ficaram conhecidos no sábado(5).Demonstrando puro contentamento foi como a cantora luziense reagiu: “Para nós, foi uma alegria imensa, porque já havíamos participado desse festival, que é nacional. Significa que o nosso trabalho está sendo reconhecido. Faz a gente querer continuar,” disse Ana Giovannini ao Luzias.

Desejamos muito sucesso a vocês, músicos talentosos de Santa Luzia!

Natureza de mãos postas para saudar a primavera

Com este belo espécime, tendo ao fundo uma fonte, parece que o planeta está de mãos postas. Fotos: Gustavo Werneck

A menos de duas semanas da primavera, que começa na madrugada de 22 de setembro, Dia da Árvore, a Palma de Santa Luzia começa a renascer. Os brotos saem bem de mansinho e vão ganhando força, verde, vida – em 13 de dezembro, data consagrada à padroeira dos luzienses e protetora da visão, eles estarão de bom tamanho para enfeitar a imagem da santa.

Em muitas casas da cidade, no jardim ou no quintal, ter a planta chamada cica ou sagu-de-jardim é um orgulho. Verdadeira “arquitetura vegetal”, ela preenche o espaço com beleza e harmonia. E faz bem aos olhos tal a sua elegância!

Planta elegante, a cica enfeita terreiros e quintais de Santa Luzia

O “nascimento” é realmente espetacular. À medida que os brotos crescem, as folhas antigas vão descendo para dar lugar às novinhas em folha. Então vale a pena saudar a nova estação e bater palmas para essa criação divina da Mãe Natureza.

Quem é ela?
Cycas revoluta, conhecida no Brasil como sagu-de-jardim, é uma espécie de cicadófita do gênero Cycas da família Cycadaceae, nativa de Fujian, na China, e de Kyushu e Ilhas Ryukyu, no Japão. Esta espécie tem importância ornamental.

O desaparecimento precoce de Carlinhos, sobrinho de Dr. Oswaldo

Carlinhos com a mulher, Maria da Penha, e os filhos Felipe(muito parecido com o pai), Ester e Leonor. Fotos: acervo de família

A notícia chegou a Santa Luzia no sábado, véspera do Dia da Independência, pela manhã: Antônio Carlos Ferreira, conhecido na cidade como Carlinhos, faleceu na madrugada de 05 de setembro, em consequência de uma parada cardio-respiratória. Ele era sobrinho de Dr. Oswaldo Ferreira, filho de João e Zeneide Ferreira, e nos deixou precocemente: faria 67 anos no próximo dia 18.

Durante o encontro da família em Búzios, no Rio, com a esposa, Maria da Penha, Tereza Maria, Marisol e o marido Renato

Carlinhos deixou muitos amigos em Santa Luzia, onde morou alguns anos na casa de seu tio, Dr. Oswaldo. Ele cursou o segundo grau no Colégio Geraldo Teixeira da Costa, no final da década de 1960/início da de 1970. Depois, retornou ao Rio de Janeiro.

Com as primas Cláudia(Buty) e Bárbara Gabrich, num dos momentos alegres do encontro em Santa Luzia

Segundo a prima Tereza Maria, no dia 22 de agosto, ele passou mal e foi internado. E alguns dias mais tarde, teve uma parada cardiorespiratória, causa de seu falecimento. Antes de adoecer, Carlinhos, que era veterinário e morava com a família em Petrópolis, tinha uma vida muito ativa. Era presença obrigatória nos encontros, a cada dois anos, da Família Ferreira.

O últiimo grande encontro da família, em novembro de 2018, foi em Santa Luzia. Carlinhos e o penúltimo de pé, antes da estátua do Cristo Redentor, lá em cima

“Estamos de luto. Carlinhos foi sempre muito presente nas nossas vidas. A gente sempre se encontrava. Ele fazia muita questão de reunir toda a família – uma hora lá, outra hora aqui,”conta Tereza Maria, observando que,”agora, Carlinhos não vai mais estar presente. Mas vamos continuar fazendo, porque ele gostava demais desses encontros.”

Deixe um comentário

Mantemos a privacidade de seu e-mail. Os campos obrigatórios estão marcados com *

Cancel reply

1 Comentário

  • cristiano
    10 de setembro de 2020, 20:45

    Boa noite Maia. Realmente lamentável a saída de Paulo Giovanini da coordenação do grupo da restauração da Capela de São João Batista. Tenho certeza que, com a saída de Paulo será muito difícil encontrar alguém com tanta dedicação, zelo e responsabilidade. Realmente lamentável.

    RESPONDA