Por que amo tanto meu tio Antônio Nonato

  • Em Gente
  • 27 de fevereiro de 2018
Por que amo tanto meu tio Antônio Nonato
Antônio Nonato: Sentindo o doce perfume das flores que recebeu

Todas as vezes que olho para o meu tio Antônio Nonato vejo muito da minha adorada mãe. Ela se foi aos 87 anos. Ele se mantém firme, lúcido e ativo aos 94.

São feito um côco, ele vai completar 93 anos

Com ótima saúde, ele completou 94 anos em primeiro de março

Os dois eram tão ligados, se amavam tanto, que quando ele ia visitá-la na nossa casa, sentavam-se um ao lado do outro no sofá e ficavam de mãos dadas, conversando, rindo com a alegria da juventude.

Assim como a minha mãe, amo esse meu tio, que deu ao mundo, com sua saudosa Zizi, 14 filhos, e sempre me tratou como se eu fosse um deles. Amo seu jeito calmo de Juiz de Paz que atuou (gratuitamente) durante tantos anos, seu assovio afinado, sua devoção às plantas.

Há poucos dias, quando fui visitá-lo, encontrei-o de regador na mão,fazendo o que mais gosta: cuidando de suas samambaias, avencas, violetas, gerânios, antúrios, orquídeas… tratando, há horas, das plantas, com o zelo de um delicado jardineiro.

Não foi à-toa que escolhi como primeira foto da página essa linda imagem dele abraçando um encantador vaso de flores amarelas.

Com os filhos, genros e netos cantando em frente à Igrejinha do Bonfim

É assim que vejo meu tio Antônio Nonato: um ser de alma maior – como a minha mãe -, digno de todas as homenagens.

Vida longa, meu tio! (Maya Santana)

Deixe um comentário

Mantemos a privacidade de seu e-mail. Os campos obrigatórios estão marcados com *

Cancel reply