Morre Dr. Rocival Lyrio, numa semana de perdas muito sentidas pelos luzienses

Morre Dr. Rocival Lyrio, numa semana de perdas muito sentidas pelos luzienses
Dr. Rocival estava internado em um hospital de Belo Horizonte e morreu aos 77 anos

Luzias

Santa Luzia sofreu duro golpe esta semana, com a perda de três de suas figuras mais queridas: Maria Eliza Giovannini, falecida precocemente aos 65 anos, na noite do último domingo, dia 13; Silvano Dalla Venezia, 92, o mais luziense de todos os italianos, morto na madrugada do dia 17, quinta-feira; e, nesta sexta-feira, 18, recebemos a notícia do desaparecimento de Dr. Rocival Lyrio, médico que não nasceu na cidade, mas tornou-se uma das pessoas mais estimadas, pelo carinho e atenção que dispensava todos, não só como profissional. Dr. Rocival era um ser reconhecidamente amoroso e generoso, por isso, muito amado. Sua generosidade foi tamanha que doou seu corpo para a Faculdade de Medicina.

Leia o artigo publicado pela site da Universidade Federal de Minas Gerais:

Morreu na manhã desta sexta-feira, 18, aos 77 anos, em Belo Horizonte, o professor Rocival Lyrio de Araújo, aposentado do Instituto de Ciências Biológicas (ICB). Rocival Lyrio sofreu parada cardíaca. Não haverá velório já que o seu corpo foi doado à Faculdade de Medicina da UFMG para pesquisa. Ele deixa esposa e cinco filhos, entre os quais Carlos Alberto Ávila Araújo, professor da Escola de Ciência da Informação (ECI). “Meu pai viveu intensamente, era um homem alegre, brincalhão e extremamente dinâmico”, testemunha Carlos Alberto.

O altruísmo de Rocival é uma das qualidades destacadas pelo nutrólogo Enio Cardillo, um dos vários amigos que fez na academia. “Ele viveu para os outros”, resume Cardillo, que foi professor de Rocival Lyrio. “Ainda no Diretório Acadêmico, ele organizou um grupo de estudantes que atendia pessoas em favelas de Belo Horizonte”, relembra.

Segundo Cardillo, Rocival, que pesquisava enzimas com o professor Wilson Beraldo, o procurou certa vez pedindo sugestão de temas que possibilitassem um trabalho social. “Sugeri que ele estudasse deficiência de Vitamina A, e ele fez um vasto trabalho no Vale do Jequitinhonha e em favelas e creches da Capital”, relata.

Carreira na UFMG
Rocival Lyrio de Araújo era graduado em Medicina e mestre em Fisiologia e Bioquímica pela UFMG, onde atuou como professor e pesquisador de 1966 a 1992. Ele era titular da Academia Mineira de Medicina e foi gerente nacional do Programa Cresça Criança, da Presidência da República, de 1987 a 1990.

Foi chefe do Departamento de Fisiologia do ICB, ministrou e coordenou vários cursos de graduação e pós-graduação e orientou dez dissertações de mestrado. Publicou 17 trabalhos científicos completos, a maior parte em periódicos internacionais. Entre os livros de sua autoria está a obra Situação alimentar e nutricional do Brasil.

Depois de aposentado da Universidade, Rocival Lyrio atuou como clínico geral em Santa Luzia, Lagoa Santa e Jaboticatubas, onde, segundo Enio Cardillo, continuou a priorizar o atendimento a populações carentes.

Deixe um comentário

Mantemos a privacidade de seu e-mail. Os campos obrigatórios estão marcados com *

Cancel reply

3 Comentários

  • Ana Carolina Dalla Venezia Breder
    18 de janeiro de 2019, 21:32

    Boa noite, sou neta do Silvano e so gostaria de fazer uma errata. Ele faleceu no dia 17 mesmo (e nao no dia 16), as 3:20 da manha.
    Atenciosamente, Ana Carolina

    RESPONDA
  • Clementina Francisca Costa L. Arsujo
    19 de janeiro de 2019, 11:12

    Nasci em Jaboticabas, e agora Belo-horizontina desde 1974. Tenho observado como o jornalismo e a Cultura cresceram em Santa Luzia! Ótimas reportagens!

    RESPONDA