“Farra imobiliária” em Santa Luzia pode continuar e outras notícias da cidade

“Farra imobiliária” em Santa Luzia pode continuar e outras notícias da cidade
Prédios e mais prédios em construção no bairro Liberdade, atrás do Mega Space

O Observatório Luziense publicou esta semana uma reportagem, que todo luziense deveria ler, sobre a tentativa da Federação das Indústrias de Minas Gerais (Fiemg) de derrubar a Lei de Uso e Ocupação do Solo de Santa Luzia, abrindo caminho para que as construtoras continuem levando adiante a verdadeira “farra imobiliária”, construindo conjuntos habitacionais por todo canto na cidade.

A reportagem lembra que o objetivo da “Fiemg é impedir medidas de proteção aos impactos causados pela expansão imobiliária desordenada e defender os interesses e lucros das construtoras.” Por isso, a entidade representante das construtoras “ajuizou Ação de Inconstitucionalidade no Tribunal de Justiça de Minas Gerais contra uma série de dispositivos legais – leis e decretos – do município de Santa Luzia.”

Se você ainda não prestou atenção ao que está acontecendo com Santa LUzia no que se refere a essa invasão das construtoras, dê uma olhada no que foi a região das chácaras Santa Inês, no bairro Liberdade, atrás do Mega Space, na área onde estava instalada a Orthocrin. Com certeza, você ficará escandalizado com o que vai ver.

São centenas de prédios. E estão sendo construídos cada vez mais perto do Centro Histórico. Há vários no bairro Boa Esperança, na região central. Ninguém sabe o que vai acontecer com Santa Luzia quando esse mar de prédios for habitado, porque a cidade não tem infraestrutura viária para dar vazão a tanta gente nem está preparada em termos de saúde e de educação.

Pode-se dizer que esse é o problema mais grave que Santa Luzia enfrenta no momento. A cidade, carente de tudo, com seu péssimo transporte público e trânsito caótico, corre o risco sério de transformar-se numa segunda Ribeirão das Neves. (Clique aqui para ler a íntegra da reportagem do Observatório Luziense)

Natal de solidariedade presenteia mais de mil crianças

Rosa Werneck aguarda a saída de Papai Noel do helicóptero, que pousou perto do Colégio Cramer. Foto: Carlos Dias Barbosa

Completou exatas duas décadas que a iniciativa da advogada e professora Rosa Werneck presenteia centenas de crianças em Santa Luzia todos os anos, nessa época de Natal. No 7 de dezembro, a meninada se reuniu novamente na quadra do Colégio Cramer e, ansiosamente, esperou a chegada de Papai Noel, de helicóptero.

O Papai Noel fazendo a alegria da criançada. Foto: Carlos Dias Barbosa

Pelo menos mil presentes foram distribuídos. Parabéns a Rosa Werneck e à sua equipe de abnegados colaboradores, que tornaram possível uma festa tão bonita. Exemplo de que a união e a solidariedade podem gerar as mais belas ações.

Fotografia da Semana

O belíssimo andor percorreu as ruas do Centro Histórico na sexta, 13, dia da padroeira. Foto: Marco Aurélio Fonseca

Chamou a atenção este ano a beleza do andor de Santa Luzia na procissão solene, que percorreu, levado nos ombros de devotos, as ruas do Serro, Floriano Peixoto e Direita. Parabéns aos que confeccionaram, com esmero e muita delicadeza, cada um dos arranjos que enfeitavam o entorno da protetora dos olhos.

Festa de Santa Luzia: uma excelente ideia

A ideia é levar os romeiros para conhecer outras atrações turísticas da cidade

Esta sim é uma boa ideia. O proprietário do jornal O Cidadão, Leopoldo Alves, contou ao Luzias da grande sacada que levou à criação da Sanluz Tour, empresa que operou pela primeira vez na Festa de Santa Luzia 2019, levando romeiros para conhecer outros pontos turísticos da cidade, como o Mosteiro de Macaúbas e o Muro de Pedras(Recanto dos Bravos).

“Percebi que os romeiros chegavam cedo a Santa Luzia para os festejos da padroeira, assistiam a missa e esperavam até a partida do ônibus de volta. Comecei a me perguntar: O que ele conheceram além das Igrejas Matriz e Rosário?” – relatou Leopoldo, dizendo que quem o incentivou “a fazer o primeiro roteiro turístico durante as festividades da Padroeira” foi o jornalista luziense Carlos Magno.

O Mosteiro de Macaúbas é uma das opções turísticas oferecidas aos romeiros

Ele cita ainda como fundamental para a concretização do projeto o apoio de outro jornalista, Wagner Penna(Waguinho) e também do pároco de Santa Luzia, Padre Felipe Lemos, do advogado Alexandre Carvalho e do seu pai Lucas. Todo sucesso para você, Leopoldo, nessa sua iniciativa de mostrar a quem chega à cidade o que Santa Luzia realmente tem de valor.

“Ô Trem Bão é Santa Luzia”. O que é isso?

Não condiz com o caráter histórico de Santa Luzia, fundada há mais de 300 anos

O Luzias gostaria de saber o que os moradores de Santa Luzia acham do letreiro acima, criado, segundo a Prefeitura, através de concurso e instalado em dois locais da cidade: em frente ao prédio da Prefeitura, na Frimisa, e na Praça da Pedra Bonita, no bairro Duquesa. Segundo o prefeito Christiano Xavier, “os novos atrativos turísticos têm o objetivo de trazer a sensação de pertencimento aos luzienses(será?), além de ser uma ferramenta de marketing espontâneo e divulgação da cidade nas redes sociais.”

Achamos que a Prefeitura perdeu uma ótima oportunidade de criar algo realçando o caráter histórico de Santa Luzia, cidade tricentenária, local de um episódio importante da história do Brasil: o término da Revolução Liberal de 1842. Terra de escritores, poetas, jornalistas, grandes professores de português gente profundamente ligada às letras, não deveria ser associada a um dizer bobo e tão vulgar: “Ô trem bão é Santa Luzia.” A cidade merece um adjetivo melhor do que “bão.”

ALUZ promove noite de homenagens a luzienses

Entre os homenageado, Carinhos Novy, ex-secretário da Cultura de Santa Luzia

Jefferson S. Lima.

No início da segunda-feira, 9 de dezembro, o poeta Geraldo França, versou…

“Hoje tem, hoje tem!
Hoje tem muita alegria.
Hoje tem festa em Santa Luzia.
Hoje tem festa na Academia.
Hoje tem festa da sabedoria”.

E houve festa em Santa Luzia!
Numa noite belíssima de segunda-feira, tendo como presidente o Professor José Rodrigues França e como mestre de cerimônia a acadêmica Angélica Jacqueline L. do Valle, a Academia Luziense de Letras e Artes realizou sua segunda cerimônia de homenagem àqueles que são relevantes para a cultura e a educação da nossa cidade.

Três dos homenageados pela Academia: Jefferson S. Lima, Íria e João

O palco foi frequentado por educadores, escritores, poetas, músicos, artistas plásticos, ativistas, assistentes sociais, atores, historiadores, empreendedores… gente que realmente faz a diferença na vida de muitas pessoas através da sua arte e de suas ações pelo bem comum. Todos receberam o diploma de Honra ao Mérito das mãos do presidente da Academia e do vice-presidente, Fabiano Reis.

Foi lindo ver os Meninos Cantores de Santa Luzia (Coral MaterEcclesiae) numa apresentação de umedecer os olhares, sendo também homenageados nesta bela cerimônia. Veja uma parte da apresentação:

Foi emocionante ver a Dona Íria e o Sr. João homenageados por perpetuarem a cultura dos presépios em nossa cidade. A importância deles para a cultura local é imensurável!

É justa, digna, e muito necessária em nossos dias a manifestação da acadêmica Rosane Laje em prol da inclusão.
Mas o papel de fazer desaguar o mar dos olhos coube à justa homenagem prestada a Alzira, que nos deixou no início deste ano e que foi uma das batalhadoras da Biblioteca Corrente do Bem, ao lado da Agripina, acadêmica e idealizadora do projeto. Impossível não se emocionar ao relembrar Alzira e seu legado.

Cantora e compositora Ana Giovannini com dois dos idealizadores da ALUZ, José França e Fabiano Reis

Para um grandfinale, uma singela apresentação do Ballet Dançarte, do Núcleo de Danças Mírian Fernandes e uma performance do homenageado Pablo Vieira, virtuoso baterista, que nos premiou com uma apresentação digna de uma noite para ficar na memória!

Neste evento, a ALUZ se curvou à diversidade, à representatividade, ao talento em sua pluralidade de manifestações e ao trabalho árduo que existe por detrás de cada verso, cada nota musical, cada pincelada, cada cena teatral, cada dia na sala de aula, cada passo de dança, cada abraço de acolhimento.

Regina da Silva, Rosane Lage, Jaqueline do Valle e Rosana Gargary: fundamentais na organização da homenagem

.

Que 2020 nos traga novos desafios e muitos frutos.

Aqui está a lista dos homenageados pela ALUZ:

1 Adalberto Nicolau do Carmo Poeta
2 Ana Cristina Giovannini de Almeida Cantora
3 Antônio Carlos Fonseca Novy Cantor
4 Aramis Silva Projeto
5 Atila Alcântara Coutinho Escritor
6 Camila Lage Dança
7 Célio Nunes Pintor
8 Coral MaterEcclesiae Mestre
9 Cristiane Ferreira Leite Responsabilidade cultural
10 Cristiano Geraldo Nonato Músico
11 Emerson Louro Escritor
12 Emerson Oliveira Rezende Ator
13 Geraldo Rodrigues França Poeta
14 Gustavo Villa Escritor
15 Hirã Rodrigues Esporte
16 Jefferson Souza Lima Escritor e Pintor
17 João e Irian Presépio
18 Johnny Herno Músico
19 Josué Ribeiro de Oliveira Músico
20 Liliane Cristina Marques Produtora/ Editora
21 Marcelino Mendes de Jesus Escritor
22 Maria Augusta Novy Pinto Monteiro APAE
23 Maria Constantina Chaves da Silva Agente cultural
24 Maria das Dores Calista da Silva Projeto Mirim
25 Marilene Rodrigues dos Santos Produtora musical
26 Marta Aparecida Pereira Silva Bernabe Assistente Social
27 Mírian Fernandes Mapa Dança
28 Nemilson Vieira de Morais Escritor
29 Pablo Junior Vieira Baterista
30 Piedade Vieira Cantora – Coro
31 Regina Duarte da Silva Ziermann Gastronomia
32 Rosana das Graças Gargary Dias Escritora
33 Rosane de Carvalho Lage Inclusão
34 Rosilene Alves Mendes Escritora
35 Simone Maria dos Santos Responsabilidade cultural
36 Tádson Willian Silva Gonçalves Mendes Teatro – agitador cultural
37 Vânia Souza Lima Empresária
38 Vladmir Alves da Silva Escritor

Deixe um comentário

Mantemos a privacidade de seu e-mail. Os campos obrigatórios estão marcados com *

Cancel reply

1 Comentário

  • Márcia
    15 de dezembro de 2019, 21:26

    Homenagens mais que justas. Uma noite a ser lembrada pela demonstração de gratidão aos homenageados, que deixam na história da cidade o legado de suas ações.

    RESPONDA