Depois de dias ilhada, Santa Luzia tem trânsito liberado na ponte nova

Depois de dias ilhada, Santa Luzia tem trânsito  liberado na ponte nova
A entrada da antiga fazenda de Vicente Araújo tomada pelas águas do Rio das Velhas. Foto: Internet

Luzias

A ponte nova de Santa Luzia, que dá acesso a Belo Horizonte, foi liberada na noite desta segunda-feira pela Prefeitura, depois de permanecer dois dias interditada, por causa do transbordamento do Rio das Velhas, em consequência  dos temporais que vêm caindo sobre a cidade. Já a ponte velha, que chegou a ficar parcialmente submersa, deverá permanecer fechada e, segundo fontes não oficiais, será periciada antes de aberta ao trânsito. Para agilizar a reconstrução da cidade, a Prefeitura declarou “situação de emergência” no município.

Veja o momento de liberação da ponte:

  As chuvas, comparadas em volume às de 1998,  provocaram danos enormes por todo lado. Só nos próximos dias se terá a dimensão desses estragos. As informações são de que milhares de pessoas estão desalojadas, muitas delas perderam suas casas, e necessitam urgentemente de ajuda. A Ong Solidariedade – Todos Juntos Sempre alugou um barco e, corajosamente, sua presidente, Rosa Werneck, visitou moradores do Pantanal, um dos bairros mais atingidos pela violência das águas do Velhas, levando, principalmente alimentos para a população faminta e assustada.

Veja como o bairro à beira do Rio das Velhas ficou:

Outros bairros  tragicamente atingidos pelas águas foram Córrego das Calçadas, a Ponte, com a Rua do Comércio totalmente inundada, Vila Íris, Barreiro do Amaral, Pinhões. Nas imediações do Mosteiro de Macaúbas, a estrada continua interditada. Um drone, lá de cima, registrou a situação do valioso patrimônio histórico. E  as imagens que a gente vê são extremamente preocupantes:

É muito importante que as autoridades responsáveis, de uma vez por todas, tomem medidas para desassorear o Rio das Velhas, caso contrário vamos ser revisitados por tragédias como essa anualmente. As mudanças climáticas estão tornando os eventos ligados à natureza mais e mais violentos. É inaceitável que o governo estadual forneça licenças permitindo o aterramento das margens do rio para que recebam “bota-fora”. Isso precisa acabar. O principal afluente do São Francisco está sendo espremido para benefício financeiro de uns poucos. O resultado é que, quando vêm as chuvas, uma cidade inteira sofre. E sofrem mais os que têm menos.

Outro questão que precisa ser revista, já dissemos aqui, é a política de habitação do município. Santa Luzia vem sendo inundada de prédios. Para quem quiser ver de perto o que está acontecendo com a cidade, é só dar uma volta no bairro Boa Esperança, no bairro Liberdade, na área das Chácaras Santa Inês. Agora, querem liberar um megaempreendimento na antiga fazenda de Vicente de Araújo, à beira do Rio das Velhas, sem ter feito antes qualquer estudo do impacto que terá. A construtora Emccamp Residencial tem projeto de fatiar a área da fazenda em quase 400 lotes. Por pressão dos moradores, de movimentos como o Salve Santa Luzia, estudos estão sendo feitos. Mas as chuvas desse verão de 2022 já deram o recado: ali não é lugar de se construir um conjunto habitacional!

Deixe um comentário

Mantemos a privacidade de seu e-mail. Os campos obrigatórios estão marcados com *