Por que os moradores de Santa Luzia vão sentir falta do promotor Marcos Paulo

Por que os moradores de Santa Luzia vão sentir falta do promotor Marcos Paulo
Marcos Paulo de Souza Miranda atuou em Santa Luzia durante exatos quatro anos, que a população não vai esquecer

Luzias

2020 vai passar para a História de Santa Luzia não só como um ano em que o Hospital de São João de Deus foi reaberto, depois de tanto tempo sem funcionar, mas também como aquele em que o Prefeito, Christiano Xavier,  conseguiu se reeleger, nas eleições municipais de novembro, com uma votação acachapante, talvez sem precedentes na cidade – 71,98% dos votos.

O ano também será lembrado pelas dezenas de vidas de seus moradores que a covid-19 ceifou. E, por  uma notícia, já no apagar de suas luzes, de enorme impacto para o nosso município: um dos homens que mais fizeram por Santa Luzia ao longo dos quatro anos em que atuou aqui, o Promotor Marcos Paulo de Souza Miranda,  acaba de se transferir para a coordenação das Promotorias de Justiça Criminas de Minas Gerais. Isso significa que não teremos mais a sua proteção contra os maus administradores e funcionários públicos desvirtuados.

Ano marcado pela reabertura do Hospital de São João de Deus e pelo número de vítimas na cidade

Muita gente roubando a cidade

Há alguns dias, antes de se despedir de Santa Luzia, o promotor deu uma longa entrevista ao Observatório Luziense, uma entrevista que todo morador de Santa Luzia deveria assistir, para ter uma noção do alto nível de corrupção na cidade. Segundo ele, esse é um dos “grandes problemas” de Santa Luzia, um município que tem o pior IDH – Indice de Desenvolvimento Humano – da Região Metropolitana e é comparado pelo Dr. Marcos Paulo às cidades mais pobres do estado, no Vale do Jequitinhonha, quando se fala em saneamento básico.

Apesar dos esforços da Promotoria Pública para coibir a corrupção na cidade, nos últimos anos, houve uma diminuição das investigações. “Em contrapartida,” conta ele, “houve um aumento muito grande das (más) ações, sobretudo na área de patrimônio público.” Na entrevista, o promotor  menciona “empresários que se valem de sua força econômica para corromper agentes públicos,” e comenta que, um tipo de corrupção comum em Santa Luzia são as fraudes em licitações.

Duras críticas à atuação da Copasa em Santa Luzia

 

Descaso da Copasa e omissão da Prefeitura

Na área de meio-ambiente, o problema mais agudo de Santa Luzia, para Dr. Marcos Paulo, “é a falta de saneamento básico”. Uma mistura de pouco caso da Copasa  aliado à omissão da Prefeitura faz com que tenhamos números vergonhosos na área de tratamento de água e esgoto .

“No meu modo de entender, é inconcebível que Santa Luzia, uma cidade de quase 230 mil habitantes, vizinha da capital, a poucos quilômetros da Cidade Administrativa do estado, tenha índices na área de saneamento que são pouco diferentes do Vale do Jequitinhonha. Para mim, é incompreensível, inadmissível”, completou, citando um caso que considera absurdo.

“Pinhões é uma das localidades mais antigas de Santa Luzia, remonta ao século 18. E eu tive que entrar com uma ação para que a Copasa substituísse o encanamento de lá, que era da década de 1960. As pessoas estavam bebendo  a água que chegava da cor de café. Isso aconteceu meses atrás, não foi há 10 anos,” queixou-se ele.

Nessa área, beirando o Rio das Velhas, uma empresa de BH quer construir a Cidade Jardim

 

Mais de dois mil moradores no Vicente Araújo

Citei apenas poucos pontos da excelente entrevista feita pelo Observatório da Imprensa, para mostrar que, sem a presença do Dr. Marcos Paulo na 6ª Promotoria de Santa Luzia, a cidade estará entregue à própria sorte. E a maior prova disso é o que já está acontecendo com a tentativa da Enccamp Residencial, empresa que tem sede em Belo Horizonte, de conseguir autorização da Prefeitura para construir, no terreno da antiga fazenda de Vicente Araújo, um conjunto habitacional, Cidade Jardim, com 537 moradias, que levarão para aquela área 2.148 pessoas.

Imagine duas mil, três mil pessoas morando naquele terreno de cerca de 500 mil m2, logo abaixo do cemitério do Carmo, às margens do Rio das Velhas. Imagine que futuro terá Santa Luzia, já entre as cidades mais maltratadas de Minas pelo poder público, como a gente pode ver, recebendo ainda mais moradores. A cidade já não dá conta dos problemas que tem. E está sendo literalmente invadida por conjuntos habitacionais.  Santa Luzia só não cresceu mais desordenadamente do que está crescendo, graças ao trabalho incansável do promotor. Mas, bastou ele virar as costas…

Quem é Dr. Marcos Paulo

Dr. Marcos Paulo chegou a Santa Luzia no dia 6 de dezembro de 2016, para assumir as promotorias de Patrimônio Público, Patrimônio Histórico, Meio Ambiente, Urbanismo e Tutela das Fundações.  Ele nasceu em Andrelândia, no sul de Minas, e, antes de vir para cá, atuou como procurador de Justiça da cidade de Piranga e Coordenador das Coordenadorias de Promotoria de Justiça, Turismo e Defesa do Patrimônio Cultural do Ministério Público de Minas Gerais. Deixou Santa Luzia exatamente quatro anos depois, agora, em dezembro.

Além de atuar no MP, ele também é integrante do Instituto Histórico e Geográfico de MG. Apaixonado pelo nosso Patrimônio, é autor de dezenas de artigos (alguns deles publicados aqui no Luzias) e de diversos livros, entre ele, Aleijadinho, sobre a vida e a obra do mestre do barroco Antônio Francisco Lisboa. Escreveu também um livro sobre sua cidade natal e outro com o título de O Sete Orelhas, contando a história de um crime famoso ocorrido no Brasil colônia.

 

Com as irmãs na restauração do Mosteiro de Macaúbas, que ele ajudou tanto. Foto: Luzias

Trabalhou intensamente pela cidade

Em Santa Luzia, Dr. Marcos Paulo se tornou um dos nomes mais importantes na preservação do patrimônio cultural, em Minas, que tem uma política específica para o resgate de bens culturais desaparecidos, e no Brasil. Foi notável o seu empenho na campanha Abrace Macaúbas,  que angaria recursos para a recuperação do mosteiro. E fundamental o impulso que deu para a reabertura do Clube Icaraí e para o início dos trabalhos de recuperação do  Clube Social Luziense, para ficar apenas em alguns exemplos. Nesses quatro anos, ele batalhou todos os dias por Santa Luzia.

Foi embora deixando muitos amigos e admiradores. A advogada e especialista em Direito Público Liliane Noacco  o define assim: “Modesto, avesso a elogios e bajulações.”  Ela trabalhou com o promotor durante um ano, quando ocupou o cargo de Procuradora-Geral de Santa Luzia E só tem elogios:  “Marcos Paulo, orgulho mineiro, bravo, forte, combativo guerreiro.”

É desse aguerrido defensor da cidade que Santa Luzia vai sentir muita falta.

Leia também (de autoria do Dr. Marcos Paulo):

Santa Luzia guarda relação direta com o movimento da Inconfidência Mineira

Histórias esquecidas e negligenciadas de tantos bairros e lugares de Santa Luzia

 

Deixe um comentário

Mantemos a privacidade de seu e-mail. Os campos obrigatórios estão marcados com *

Cancel reply

1 Comentário