Santa Luzia se despede de Luzia Fonseca, símbolo maior da nossa fé e religiosidade

Santa Luzia se despede de Luzia Fonseca, símbolo maior da nossa fé e religiosidade
Luzia morreu nesta quinta-feira, 9 de maio, em sua casa, na Rua Direita, aos 104 anos. Foto: Luis Fernando Ferreira

Luzias

Santa Luzia perdeu nesta quinta-feira, 9 de maio, uma de suas filhas mais velhas e queridas, símbolo da fé e da religiosidade de seu povo. Centenária moradora da Rua Direita, Luzia Carmélia da Fonseca partiu para seu destino final aos 104 anos de idade. Morreu serena, como foi a sua vida, inteiramente dedicada a fazer o bem. Sua partida será sentida não só por aqueles que tiveram a alegria de conviver com ela ao longo de mais de um século, mas pela cidade, que se acostumou ver em Luzia a essência da verdadeira luzias, pela sua integridade, generosidade e pureza de espírito. Um dia triste para os luzienses.

Luzia viveu com “invejável disposição e energia”, como assinala o texto abaixo, da Associação Cultural Comunitária de Santa Luzia.

Leia:

Nascida em Santa Luzia em 18 de abril de 1915, Luzia é filha do ex-prior do Hospital de São João de Deus, funcionário da Coletoria Federal, Francisco Lucindo da Fonseca e da senhora Conceição Carmélia da Fonseca. Família tradicional de Santa Luzia, com serviços prestados à pátria e ao município de Santa Luzia por diversos de seus membros como é o caso de seus irmãos Mauro da Fonseca, um dos ex-pracinhas luzienses que compareceu aos campos de batalha da 2ª Guerra Mundial, e Francisco Lucindo da Fonseca Júnior (Bimbo), chefe de Gabinete da Prefeitura Municipal de Santa Luzia de todos os prefeitos empossados a partir da década de 1930 até a sua aposentadoria, chegando a ocupar a interinidade do cargo de prefeito no ano de 1938.

Aos 104 anos recém-completados, Luzia viveu com invejável disposição e energia. Contando mais de um século, Luzia, que poderia ter se aposentado da presença constante nas atividades comunitárias, não o fez e continuou disposta, com o carinho de suas mãos, ao trabalho de valorização de nossas mais ricas tradições. Entre essas, a participação na manutenção do Santuário de Santa Luzia nas comoventes cerimônias da Semana Santa e nas festivas celebrações do Jubileu de Nossa Padroeira (na foto Luzia recebe a bênção do bispo Dom Vicente de Paula Ferreira, na procissão de Nossa Senhora das Dores, em abril de 2019).

Luzia Fonseca foi privilegiada participante dos fatos que movimentaram o século 20 em nossa cidade. Aqui lembramos a fundação da “Associação de Proteção à Infância”, momento marcante da assistência social, em que participou da ação meritória de D. Maria do Carmo Moreira, a benemérita Mariinha, de quem foi amiga pessoal e ativa colaboradora no Instituto São Jerônimo.

Na ação religiosa e social, acompanhou ainda, com o rigor que é característico de sua personalidade, a fundação da “Pia União de Maria” e da “Associação das Damas de Caridade”. Novamente ao lado de D. Mariinha e das irmãs Agar e Augusta Dolabella, testemunhou e atuou, já no final da década de 1920, nas primeiras ações locais de implantação de um serviço de assistência social aos mais necessitados e desamparados na cidade de Santa Luzia.

Olhar atento, caridoso e benevolente, também acorreu aos enfermos do Hospital de São João de Deus, onde, por sua ativa presença e participação comunitária, conquistou lugar junto aos irmãos da Misericórdia do Hospital de São João de Deus, dando efetividade aos preceitos da instituição fazendo o bem a si mesmos ao ajudar o próximo e necessitado, sempre carente de recursos e atenção em momentos delicados em que a saúde lhe faltam.

A instrução dos luzienses também esteve ao olhar e participação de Luzia Fonseca durante os momentos iniciais e seguintes da criação do 1º Ginásio Colegial de Santa Luzia, atual E.E. Geraldo Teixeira da Costa, em 1951, quando assumiu as funções da secretaria, se dedicando à organização inicial e acompanhando a formação dos jovens luzienses que, pela primeira vez, tinham acesso à educação pública em momento contínuo aos primeiros ensinamentos dos grupos escolares. Pioneiro, o Ginásio Santa Luzia dispensava os luzienses da educação dos internatos e de viagens e temporadas de estudo na capital, até então de acesso difícil e complicado.

À Luzia Fonseca somam-se predicados dos mais valorosos dentre os seres que exercem a bondade humana e que, por falta de referências no grave atual momento em que vivemos, para nós devem ser de profunda inspiração para o exercício da fraternidade.

Em 2016, LUZIA CARMÉLIA DA FONSECA recebeu a Medalha Láurea Cruz da Batalha de Santa Luzia, dentro das comemorações do término da Revolução Liberal de 1842, como reconhecimento e gratidão a uma brava luzia.

Nesse momento de despedida, assumimos o compromisso de continuarmos inspirados pelo seu amor à terra natal. Agradecemos à LUZIA pelo seu rico exemplo de cidadã comprometida com os valores de nossa Santa Luzia. Que Santa Luzia e Nossa Senhora das Dores, de quem foi camareira tão dedicada, a recebam com alegria no reino do Pai.

Deixe um comentário

Mantemos a privacidade de seu e-mail. Os campos obrigatórios estão marcados com *

Cancel reply